Curiosidades Destaque

5 versões legais do Fiat Uno que nunca tivemos no Brasil

Clássico e icônico, o Fiat Uno foi um dos mais amados modelos brasileiros, mas também fez sua fama lá fora, como provam essas versões legais
Fiat Uno Turbo i.e. [divulgação]
Fiat Uno Turbo i.e. [divulgação]

Botinha ortopédica e carro mais rápido do mundo quando equipado com escadas no teto. O Fiat Uno é um verdadeiro marco na indústria automotiva brasileira e mundial. Uma pena que depois de seus 37 anos de serviços muito bem prestados, ele se despede do mundo dos automóveis.

Em virtude de sua presença mundial, não à toa, teve versões tão interessantes desse e do outro lado do Atlântico. Por isso, essa lista reúne cinco versões legais do Fiat Uno as quais nunca foram comercializadas no Brasil. Ironicamente, pelo menos um deles, foi produzido por aqui, mas nunca vendido no nosso país.

Uno Turbo i.e. (frente alta)

Apresentado em abril de 1985, o Fiat Uno Turbo i.e. era um presságio que seria aplicado no Brasil. Lá na Europa ele usava motor 1.3 turbo com injeção multiponto Bosch. Ele começou com 1299 cilindradas, mas pouco tempo depois a Fiat aumentou a capacidade para 1.301 cc. Isso foi preciso porque a lei italiana permitia limites de velocidade maiores para carros 1.300 cc.

Apesar disso, o motor sempre entregou 104 cv, mas o modelo com mais cilindrada tinha torque mais cedo. Visualmente ele trazia para-choques pretos, arcos de roda com plástico, adesivo na lateral e aerofólio. Por dentro, interior com carpete vermelho, bancos esportivos e volante único. Teve até ABS como opcional!

 

Uno Selecta

Um Uno sem pedal de embreagem só foi possível na segunda geração com o terrível câmbio automatizado Dualogic. Contudo, anos antes, mais precisamente em 1987, o Uno teve uma transmissão automática de verdade. O Uno Selecta nada mais era que a versão CVT do hatch compacto. Sim, um Uno CVT, muito antes do Fiat Pulse.

O câmbio continuamente variável era oferecido somente com motor 1.1 quatro cilindros aspirado de 58 cv. A versão não durou muito tempo pois a aversão às transmissões automáticas ainda era grande na época. Depois disso o Uno nunca mais teve uma versão com transmissão automática de verdade e o CVT só voltou a ser usado em um Fiat agora com o Pulse.

Fiorino Panorama

Ironicamente produzido no Brasil, mas nunca vendido por aqui, o Panorama era uma interessante variante do furgão Fiorino. No nosso país, o Fiorino sempre foi a versão de trabalho do Uno, vendido única e exclusivamente para levar cargas em seu baú. Ainda que agora tenha recebido um novo visual nunca usado no Uno.

Todavia, lá na Europa, ele contava com a interessante versão Panorama. As laterais do baú eram decoradas com vidros. Na primeira fase do modelo com frente alta eram duas janelas. Já após a reestilização, foram adotadas quatro janelas em duas fileiras. Além dos vidros, havia espaço para mais três pessoas e um enorme porta-malas.

Tipo Uno

Enquanto o Uno brasileiro pós-reestilização é conhecido como frente baixa, o modelo europeu praticamente se tornou um mini Tipo. Remodelado em 1989, ele ganhou frente mais baixa que no modelo nacional, com faróis levemente arredondados e para-choque envolvente.

A traseira foi o ponto de maior alteração. O Fiat Uno europeu adotou lanternas pequenas e baixas com visual bem parecido com o que o modelo brasileiro apresentou quase de 20 anos depois. A tampa traseira cresceu e ficou praticamente idêntica à do Tipo.

Panda 4×4

Tecnicamente Panda e o Uno que agora se aposentou são o mesmo carro. Eles compartilham plataforma e alguns componentes, além de visual semelhante. A diferença é que o Uno é uma variante de baixo custo do Panda europeu. E por lá eles têm uma versão que honra ainda mais a fama de robusto que o hatch brasileiro tem.

O Panda 4×4 pode até não ser um Jeep Renegade no off-road, mas encara uma trilha sem o menos esforço. Ele traz sistema eletrônico de bloqueio de diferencial como a Fiat Strada Locker tinha, mas atuante em todas as rodas. Além disso, a tração nas quatro rodas permite vencer obstáculos como um SUV. Tem versões diesel ou gasolina, ambos turbinados.

>>Fiat Uno Ciao é edição de despedida do hatch compacto

>>Pulse encarece e não há mais versão turbo por menos de R$ 100 mil

>>Strada CVT estreia com conjunto do Pulse por R$ 111.990

Sobre o autor

João Brigato

3 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Essa Fiorino Panorama era praticamente uma Doblò duas portas… rsrsrs. Vendo o Panda 4×4, na época do auge da linha Adventure aqui no Brasil, a Fiat poderia ter lançado versões 4×4, seriam Strada, Weekend, Doblò e Idea 1.8 Adventure Locker 4×4 e até o Uno Way 1.4 poderia ter sido 4×4, já que é um carro bem leve, obviamente pra serem usados em off road mais leve, sem necessariamente utilizar um 4×4 à diesel, acredito que teriam feito sucesso, e não seriam tão mais caros, já que a Fiat já tinha a tecnologia e produziria em grande escala.

  • É triste 😞 saber que o Uno está saindo de linha, um veículo que muito tempo fez parte da família brasileira, eu tenho, e bem conservado, um Fiat Uno.