Avaliação Destaque

Avaliação: Fiat Strada Freedom é excelente, mas não compensa

Melhor picape compacta do Brasil, Fiat Strada na versão intermediária Freedom fica mais cara que a topo de linha Volcano com apenas um opcional
Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]

Demorou mais de vinte anos, mas Fiat Strada finalmente mudou. E isso não é fácil. Reconhecida por sua confiabilidade, versatilidade e robustez, principalmente, a picape compacta da Fiat tem uma coroa a honrar. Mas quando se trata de custo-benefício, justificar a Strada Freedom Cabine Dupla fica difícil.

Versão intermediária da Fiat Strada, a versão Freedom Cabine Dupla parte de R$ 79.290, mas basta colocar o kit opcional Pach Tech que agrega central multimídia UConnect com Android Auto e Apple CarPlay (ambos sem fio), câmera de ré e sensor de ré para que ela custe exatamente o mesmo da versão topo de linha Volcano.

Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Ok, a Strada Volcano custa R$ 10 a mais que a Freedom com kit opcional – isso por conta do primeiro aumento de preços que a Fiat fez, pois durante os testes com a picape, a Freedom completa ainda era mais cara que a Volcano. Nesse valor e com equipamentos a menos, fica impossível justificar uma Strada Freedom completa.

Pequeno trator

Colocada essa questão de lado, chega a hora de ver do que a nova Fiat Strada é capaz. E logo de cara é perceptível o quanto a pequena caminhonete honra seu legado. Ela é robusta de fato ao rodar e aguenta o tranco sem reclamação. Grande parte dessa sensação se deve à suspensão traseira com feixe de molas como nas caminhonetes maiores.

Ela é feita para o trabalho, fazendo com que grandes quantidades de cargas na traseira da picape não sejam dificuldade para o conjunto de suspensão, que não rebaixa a traseira como nas rivais. Nessa versão cabine dupla são 650 kg de capacidade máxima distribuídos em bons 844 litros, uma evolução frente aos 680 litros de antes.

Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Isso só foi possível porque a caçamba da picapinha ficou mais longa e alta, permitindo colocar cargas maiores sem que elas precisem ficar para fora. A tampa traseira deixa evidente o quão alto ficou o conjunto. Contudo, apesar de ser maior, a tampa está mais leve graças a um sistema inteligente de molas – da para abrir e fechar somente com uma mão e sem esforço.

Work and play

Durante o lançamento da Fiat Strada, a marca italiana ressaltou que a antiga irmã do Palio agora era feita para o trabalho e também para o lazer. Se toda valentia para o trabalho continua firme e forte como sempre, agora a Strada dá conta de também fazer o que sua irmã Toro faz?

Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
A robustez do conjunto de suspensão traseiro cobra seu preço ao apresentar comportamento saltitante em terrenos acidentados e asfalto mal cuidado. Porém, a Strada ficou muito mais na mão do que antes, contornando curvas mais fortes com dinâmica esperada por um carro italiano. Sim, como um carro, não como uma caminhonete.

Nessa tocada, a direção elétrica fez maravilhas à Strada: leve nas manobras e firme nas rodovias, ela é bem comunicativa e ágil. Pena não ter ajuste de profundidade, o que atrapalha bastante na hora de encontrar a posição ideal de dirigir. Destaque para o volante de ótima empunhadura e, mesmo sem revestimento de couro, tem material agradável ao toque.

Nessa pegada de work and play, como diz a Fiat, a Strada Freedom entrega o melhor conjunto mecânico disponível na marca hoje: o valente e econômico motor 1.3 Firefly quatro cilindros aspirado de 109 cv e 14,2 kgfm de torque.

Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
O motor entrega bastante torque em baixas rotações, sendo ideal para andar carregado. Mesmo para um motor aspirado de baixa cilindrada, ele responde bem e faz com que a picape compacta ganhe velocidade fácil e retome sem sacrifícios na estrada.

Os números de consumo da Strada na prática impressionam, tanto que ela rodou mais de 500 km (50% cidade e 50% estrada) com etanol e ainda deixou ¼ do tanque sobrando. Mas eles poderiam ser ainda melhores se ela tivesse uma sexta marcha. A 100 km/h a Strada Freedom grita acima dos 3 mil giros, pedindo mais uma marcha. Sem contar o quanto o ruído do motor invade a cabine e incomoda.

[Auto+ / João Brigato]
[Auto+ / João Brigato]
Outro problema do câmbio manual de cinco marchas, comum há anos entre os Fiat, está nos engates. Eles são longos, borrachudos e imprecisos. Parece a mesma transmissão usada pela marca desde os tempos do Palio (ou até antes). Além disso, a primeira marcha é extremamente curta, feita para facilitar a saída da Strada carregada, contudo, com ela vazia, vez ou outra você poderá sair acelerando forte demais sem querer. E aí todos na rua vão achar que você é um motorista recém-habilitado acelerando o carro mais do que deveria.

Mobi + Uno = Strada

Além de compartilhar parte da plataforma, portas dianteiras e para-brisa com Uno e Mobi, a Strada também traz diversos elementos internos dos irmãos. Se você já entrou nos compactos, verá na picape o mesmo desenho básico da cabine, ainda que nela, o conjunto pareça mais robusto e moderno.

Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
Fiat Strada Freedom Cabine Dupla [Auto+ / João Brigato]
O painel de instrumentos é fundo e pequeno, para compensar traz uma interessante tela do computador de bordo com bastante informação. O acabamento é simples, mas de qualidade, com plásticos agradáveis, bem montados e de visual interessante, como é típico entre os Fiat.

Destaque para a central multimídia com ótima definição de tela, veloz e com usabilidade facilitada. A única crítica vai para a qualidade ruim da câmera de ré e para o aviso de olhar ao redor de come uma parte da área visivelmente aproveitável. Há Android Auto e Apple CarPlay sem fio para os conectados com a tecnologia.  Quem quiser usar o cabo, terá um espaço dedicado para o celular no console central, algo que a maioria das marcas nem pensa.

Atrás dizer que cinco pessoas podem andar confortavelmente é forçar (e muito) a barra. A Strada carrega quatro pessoas com muito mais conforto que antes, especialmente por conta das portas. Porém, passageiros mais altos se sentirão apertados lá atrás. É mais espaçosa que o Mobi, mas não tanto quanto o Uno – e ambos não são referência nesse quesito.

Veredicto

Em um mercado dominado pela Fiat Strada há anos, ela nunca se acomodou. Tudo bem que ficou em uma mesma geração por mais de vinte anos, mas sempre inovou, algo que ela deixou ainda mais claro nessa nova geração por conta das versões quatro portas.

Ela não é uma mini Toro como muita gente sugere por conta do visual, a Strada é mais robusta que a irmã e deixa claro que sua aptidão é para o trabalho. Contudo, ela ficou bem mais civilizada e utilizável, verdadeiramente como um carro de passeio, algo que não era um atributo de sua antecessora. É um carro melhor e continua uma excelente picape.

Agora, se você busca uma Fiat Strada Cabine Dupla, pule diretamente para a versão Volcano. A versão de entrada Endurance é muito básica, feita para o trabalho puro e tem motor velho. Já a intermediária Freedom tem preço injustificavelmente próximo da topo de linha, o que faz com que ela não tenha o mesmo custo-benefício que a versão Freedom na Toro tem.

[Auto+ / João Brigato]
[Auto+ / João Brigato]

>>Avaliação: Chevrolet S10 High Country: não contavam com minha astúcia

>>Fiat Strada ameaça liderança do Chevrolet Onix em setembro

>>Avaliação: testamos a configuração topo de linha da Fiat Strada

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

Um comentário

Clique aqui para comentar