Avaliação Destaque Novidades

Avaliamos o Honda Fit 2018, o japonês racional

Modelo mantém suas virtudes e adota novos equipamentos
Modelo ganhou para-choque mais proeminente para evitar amassados no porta-malas (Auto+)

Ele foi lançado lá em 2003, e desde então é sucesso de público — que dificilmente costuma trocar de modelo, mas sim comprar um mais novo. Estamos falando do Honda Fit, que na linha 2018 traz visual reestilizado e mais equipamentos, mas mantendo a mesma receita de sucesso, afinal, a máxima de que “em time que se está ganhando não se mexe” se aplica muito bem ao monovolume.

A linha 2018 do Fit chegou em setembro com faróis diurnos de led, grade dianteira remodelada, para-choque dianteiro com aspecto mais esportivo e para-choque traseiro modificado — que agora protege a tampa do porta-malas em eventuais colisões de trânsito, algo que não acontecia no anterior. Basta uma observada no trânsito e encontrar Fits com a peça amassada.

O Fit 2018 também ganhou um item que era motivo de críticas por estar ausente na versão anterior: o controle de estabilidade. Novidade também é o assistente de partida em rampa e ar-condicionado digital, presente desde a versão EX.

Sob o capô permanece o mesmo motor 1.5 i-VTEC FlexOne de até 116 cv e 15,3 kgfm de torque, que não garante emoções, mas que agora proporciona um pouco mais de agilidade por conta da adoção de aletas para trocas manuais nas versões CVT.

Abaixo, confira a avaliação completa do Honda Fit 2018:

Veja mais:

>> Andamos no WR-V, novo SUV compacto da Honda

>> Avaliação: Argo 1.8 é bom de guiar, mas deve equipamentos

>> Citroën C3 mostra evolução com câmbio automático de 6 marchas

Sobre o autor

Avatar

Redação

Comente

Clique aqui para comentar

Encontre peças e acessórios





Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva