Avaliação Destaque

BMW Série 3 é o Whopper do mundo dos carros | Avaliação

Você sabe que vende menos que o Big Mac, mas é maior, mais caro, bem mais suculento e que nunca tem erro. E isso é o BMW Série 3
Série 3
BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]

Existem produtos que são símbolos de suas marcas de maneira mais forte até que seus próprios logotipos. O que representa mais o McDonald’s do que um Big Mac? Ou o que seria do Burguer King sem o Whopper? Entre os carros não existe nada mais emblemático para a VW que o Fusca, ou que o Corolla para a Toyota. Assim é o Série 3 para a BMW.

Até hoje o Fusca é tido como o carro do povo definitivo, ainda que não seja o carro mais vendido do mundo, porque esse é o título do Corolla. Mas entre os modelos de luxo, não há ninguém que supere o BMW Série 3. E por que ele é igual ao Whopper do Burguer King?

Simples. Os lanches símbolo do BK e do Méqui são encontrados em todos os lugares sempre da mesma maneira. Você sabe o que está comprando, independentemente de onde você está. As duas redes têm obrigação sempre de oferecer algo verdadeiramente bom. Tal qual a Toyota com o Corolla e a BMW com o Série 3.

Série 3
BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]
Contudo, enquanto o Corolla é o Big Mac, porque vende mais, está presente nos quatro cantos do mundo e é até mais barato, o Série 3 é um suculento e grande Whopper. Mas o nacional 320i em sua versão M Sport de R$ 299.950 consegue entregar tudo que se espera do representante mais icônico da BMW?

Ultimate driving machine

Por anos a BMW usou o slogan “ultimate driving machine”, que significa algo como máquina de dirigir definitiva. E basta sentar atrás do volante do Série 3 para entender que isso não é balela. Tudo começa pelo fato de que a versão 320i é equipada com motor 2.0 quatro cilindros turbo flex de 184 cv e 30,6 kgfm de torque.

BMW Série 3
BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]
Ele é ligado a uma transmissão automática tradicional de oito marchas na qual se comunica com perfeição com o motor. As trocas não são sentidas na maioria das situações, prezando pela suavidade do conjunto. Mesmo em tocada mais forte, o Série 3 pouco da tranco nas marchas ascendentes. E ainda há hastes atrás do volante para ajudar no tempero esportivo.

O sedã se mantém surpreendentemente silencioso em condução urbana mais comedida, com marchas sendo engolidas rapidamente para baixar a rotação. Enquanto nos sinais ele desliga o motor para economizar. Como resultado oficial do INMETRO, faz 9,8 km/l com gasolina na cidade e 12,8 km/l na estrada – nossos testes em circuito misto resultaram em 11,3 km/l.

BMW Série 3
BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]
O motor empurra o Série 3 com vontade, mostrando ser ágil e rápido, ainda que esse seja o modelo com motor mais fraco da gama. Mas há como diz ao comando “Hey BMW” que está entediado, para que assim ele ative o modo esportivo, o que deixa as coisas mais interessantes. Mesmo em Comfort, ele entrega performance mais que suficiente. Até sobra, aliás.

Série 5zinho

O que verdadeiramente encanta é como esse BMW é um carro na mão e fácil de dirigir, mesmo tendo proporções que já o colocam quase no patamar de um sedã jamanta. São 4,70 m de comprimento, 1,82 m de largura, 1,43 m de altura e entre-eixos de 2,85 m. Proporções que antigamente eram de um Série 5.

Série 3
BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]
A posição de dirigir verdadeiramente baixa deixa com que o motorista sinta toda comunicação com o carro. Junte isso ao fato de que o volante tem aro grosso e pode ficar bastante próximo, o sedã bávaro acaba por entregar postura de condução de esportivo. Nessa tocada também fica a suspensão e a direção.

Não tão dura quanto um Mini, a suspensão do 320i M Sport é do tipo que copia o que acontece no asfalto e pode deixar algumas colunas gritando. Ele não lida tão bem com buracos e imperfeições, chacoalhando a todo relevo que passa pela frente. Em compensação, engole curvas como um cavalheiro alemão.

BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]
Apesar da tração traseira, o Série 3 sabe se comportar com muita neutralidade em viradas mais fortes. Contudo, basta um pisão mais forte no acelerador para que a traseira dele deslize com elegância e controle absoluto. Você anda de lado porque quer, não porque o carro é desengonçado, como acontece com muitos tração traseira mais rústicos.

Para facilitar essas peripécias, que só são possíveis com o controle de tração desligado e no modo Sport, a direção é pesada. Com assistência elétrica e progressiva, ela exige mais força nas manobras e também na condução diária. Mas numa tocada mais forte e na estrada esse esforço extra é recompensado. A direção é precisa, rápida e se mantém firme.

BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]
É impossível dirigir um Série 3 sem colocar um sorriso no rosto. O acerto dinâmico que a BMW fez beira a perfeição para sua categoria. Além disso, a solidez da carroceria impressiona e mostra o porquê esse sedã é tão amado há tantos anos.

Peque pelo excesso

Enquanto os carros da Volvo têm interior minimalista e clean, os da BMW vão para o lado oposto. A opulência do luxo da BMW é pelo excesso, pelos detalhes a mais e pela grande quantidade de matérias diferentes. O caso do Série 3 passa longe de ser cafona, como alguns outros carros da marca beiram.

BMW 320i M Sport [Auto+ / João Brigato]
Ele traz material macio ao toque na parte superior de todo painel e portas, que entra em contrastaste com a faixa com plástico decorativo e metal. No modelo testado, havia couro caramelo nos bancos, tom replicado no material emborrachado da parte inferior do painel. A cabine tem ar de sofisticação e modernidade.

A BMW finalmente tornou seus comandos intuitivos. Tudo está aos olhos do motorista e é fácil de utilizar. Ar-condicionado tem comandos simples e à mão do motorista. Enquanto botões que modificam os modos de condução do sedã ficam do lado esquerdo da manopla de câmbio.

Destaque vai para a central multimídia que conta com Android Auto e Apple CarPlay sem fio. Ela é rápida, tem tela de excelente qualidade e bastante larga, o que ajuda a deixar vários aplicativos rodando ao mesmo tempo. Os menus são fáceis de usar e intuitivos, ainda que a interface seja um pouco cansativa.

Painel de instrumentos totalmente digital faz par à tela e apresenta um laytou elegante e simples de mexer. Informações do GPS são replicadas ali e a personalização é fácil de ser feita. Destaque ainda vai para a presença de ar-condicionado digital de três zonas, carregamento de celular por indução e bancos com regulagem elétrica, incluindo da almofada lateral.

No quesito segurança, o 320i M Sport traz frenagem autônoma de emergência, assistente de manutenção em faixa, piloto automático adaptativo, alerta de ponto cego, sistema de câmeras 360° e alerta de tráfego cruzado (que confesso que me deu um baita susto ao sair da garagem e ele confundir uma sacola voando com um carro).

Veredicto

Não é atoa que o BMW Série 3 é o carro de luxo mais vendido do mundo há anos. O sedã é um verdadeiro tesão para dirigir em todos os sentidos, entrega o luxo esperado por uma marca alemã, ainda tem estilo atual e recheio tecnológico.

[Auto+ / João Brigato]
A BMW sabe que não pode errar com seu maior ícone, por isso sempre investe pesado nele. Por isso, entrega um conjunto que se mostra verdadeiramente superior a todos os rivais hoje presentes no mercado nacional. E tal qual um Whopper, você sempre sabe o que vai encontrar quando se trata de um novo Série 3. O sabor é sempre muito bom, ainda bem.

>>Volvo S60 Polestar tem múltiplas almas em um só carro | Avaliação

>>Audi A4 2021 vive mundo diferente de Classe C e Série 3: Avaliação

>>Countryman Cooper SE: espírito Mini pronto para o futuro | Avaliação

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar