Destaque Novidades

Toyota trabalha em Corolla elétrico junto da BYD

Se no passado a BYD copiou o Corolla, agora a marca chinesa e a Toyota trabalharão juntas para fazer um sedã elétrico
Toyota Corolla
Toyota Corolla [divulgação]

Já diria o ditado popular moderno: “o mundo não gira, ele capota”. Se no começo dos anos 2000, a chinesa BYD copiou descaradamente o Toyota Corolla com o sedã F3, agora ela e a marca japonesa trabalham juntas em um modelo 100% elétrico.

Segundo informações da Reuters, o novo modelo desenvolvido em parceria entre BYD e Toyota será um sedã de porte médio descrito como “um Corolla com mais espaço na segunda fileira de bancos”. Basicamente o hoje o Toyota Ailon é.

A parceria Toyota e BYD será, a princípio, restrita apenas à China. Por conta disso, a japonesa pretende precificar seu carro abaixo dos 200 mil yuan (R$ 177 mil) onde hoje está o Tesla Model 3 e o Nio ET7. Para isso, será utilizada a nova bateria de Lítio-ferro-fosfato da BYD.

BYD Han [divulgação]
Esse tipo de bateria é mais barata, mais leve e menor, mas também tem densidade um pouco menor que as tradicionais usadas por outros modelos. A plataforma, no entanto, será a e-TNGA da Toyota. A base estreou no SUV bZ4X e faz parte da linha de elétricos Beyond Zero da marca japonesa.

Ao invés de tentar fazer sozinha esse modelo, a Toyota recorreu à parceria com a BYD por conta do custo mais baixo. A chinesa tem mostrado recentemente modelos com padrão de qualidade igual ao de carros internacionais, mas com custo de produção mais baixo – especialmente no caso de elétricos.

BYD Tan [divulgação]
Por conta disso, a Toyota quer aproveitar da tecnologia e do conhecimento dos chineses em fazer carros elétricos mais baratos para o seu novo sedã. O desenvolvimento já está sendo tocado por 100 engenheiros da BYD e 24 da Toyota em Shenzhen.

>>Corolla Cross ganha versão de 200 cv com motor 2.0 híbrido

>>Toyota ainda vende picape de 1984 como 0km por R$ 334 mil

>>Fábrica Toyota agora funciona 24hs por causa do Corolla Cross

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar