Destaque Novidades Serviço

Carro está rodado? Veja dicas para mantê-lo em boas condições

Se o motor está com mais de 100 mil km, não precisa grilar, basta seguir recomendações
Na hora da escolha, carro com mais de 100 mil km pode ser levado em consideração, mas com cautela (Auto+)

O seu carro está com alta quilometragem? Ou você está de olho num usado que já superou os 100 mil km? Pois bem, se a sua preocupação é saber se esse pode ser um bom negócio ou se o baixo preço pode esconder uma ‘roubada’, fique tranquilo! Esse fator não deve ser considerado como fundamental para um ‘sim’ ou ‘não’ com relação à compra.

De acordo com especialistas, apesar do susto com o número elevado, nem tudo está perdido, pois outros quesitos pesam muito na hora de fechar negócio. Para ser considerado de boa procedência, o veículo em questão precisa ter feito todas as revisões no prazo, tem também o cuidado com sua parte interna, com a estética, entre outros pontos.

É evidente que, quanto mais usado, maiores são os riscos de falhas mecânicas. Por isso, tão importante quanto a quilometragem, é saber como esse uso aconteceu. Um exemplo é sondar se o carro rodou em estrada ou enfrentando o extensos congestionamentos.

Rodízio municipal em SP (reprodução)

É muito provável que um modelo com alta quilometragem, feita em rodovias, esteja em melhores condições do que outro, menos rodado, mas que tenha circulado em grandes centros urbanos, fazendo racha, ou tendo sido conduzido de maneira desgastante, errada. Basicamente, a qualidade de um motor não depende apenas da rodagem ou idade, e, sim, de cuidados extras que o proprietário/condutor tenha tomado.

Embora a revisão geral e a reparação de peças sejam de extrema importância para garantir a qualidade do veículo, um dono cuidadoso também tem o dom de prolongar sua vida útil. Então, se a meta é comprar um carro com mais de 100 mil km e ainda manter o possante ‘tinindo’, é necessário recorrer à algumas dicas essenciais, como, por exemplo, cuidar do óleo lubrificante do motor.

Dicas de manutenção
O procedimento de troca deve ser feito, na maioria dos carros, a cada 10 mil quilômetros. Outro caso comum é, por exemplo, evitar o consumo elevado do produto. Neste caso, o STP Oil Treatment STP (ST-1503BR) pode ser a solução, uma vez que possui ingredientes detergentes e dispersantes, que combatem a formação borras.

“A correta manutenção do sistema de ignição de velas, cabos e bobinas, facilita a partida do motor e garante o bom trabalho do veículo”, esclarece Hiromori Mori, consultor da Assistência técnica da NGK do Brasil. Portanto, é bom ficar de olho também nestes componentes e, no caso de dúvida, correr para o mecânico de confiança – tido como serviço essencial, os profissionais continuam prestando atendimento mesmo em época de quarentena.

Fora do motor, mas extremamente importantes até mesmo para a segurança a bordo, as suspensões jamais devem ficar de fora da checagem. “É muito importante saber identificar os indícios que mostram quando os amortecedores ou outros itens do sistema (de suspensão) estão merecendo atenção e manutenção”, alerta Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata, afinal, “seu desgaste gera instabilidade em curvas.”

“Oscilações ou balanço excessivos podem indicar que a energia da mola não está sendo dissipada adequadamente pelo amortecedor”, explica Silva. Outros fatores que podem apontar defeitos no amortecedor são vazamento de óleo e o tempo que o carro demora a parar ao acionar o freio.

Veja mais:

>> Hyundai mostra a cara do Santa Fe 2021

>> Salão de Nova York só em 2021

>> Kia Rio tem novidades em visual e motorização

Sobre o autor

Avatar

Redação

Comente

Clique aqui para comentar