Curiosidades Destaque

Mais 5 versões de alto custo de carros feitos no Brasil

Brasil é um país de baixo custo, por isso, ficamos com os carros mais baratos por aqui e às vezes rola uma inveja dos gringos
carros
Hyundai Kona [divulgação]

Depois da primeira parte da lista que revelava cinco versões de alto custo de carros vendidos no Brasil, trouxemos mais cinco exemplos. Como o Brasil é um país subdesenvolvido e mais sensível ao preço dos carros, além de menos exigente, as marcas desenvolvem para cá carros mais baratos e simples que equivalentes europeus. Veja mais cinco exemplos disso.

Hyundai Kona e Bayon

Hyundai Bayon [divulgação]
Hyundai Bayon [divulgação]
O caso dos SUVs compactos da Hyundai pode, na realidade, ser um grande ponto para o Brasil (Índia, China e outros países que vendem a versão de baixo custo). O Creta é um sucesso em todos os países em que atua: é um SUV compacto bem espaçoso, bem equipado e bem acabado, mas com visual extremamente polêmico.

Para dar conta do que o Creta faz, a Hyundai precisou de dois SUVs compactos. Começou com o Kona em 2017 e que tem estilo igualmente polêmico, mas um porte mais acanhado e não faz tanto sucesso nas vendas. Em 2021, ela lançou o Bayon baseado no hatch compacto i20 para também tentar preencher a faixa do Creta lá fora.

Peugeot 2008

Peugeot 2008 [divulgação]
Peugeot 2008 [divulgação]
O Peugeot 2008 começou sua carreira no Brasil igual ao modelo europeu, salvo alguns pontos de economia em acabamento. Mas nada diferente do que outros carros brasileiros fazem. O problema foi o que aconteceu em 2019 quando o Peugeot 2008 se transformou em dois carros diferentes.

Lá na Europa, o SUV ganhou nova geração com visual inspirado no 3008, plataforma do novo 208 (CMP) e até versão totalmente elétrica. Já no Brasil, a Peugeot apostou em uma reestilização exclusiva com grade frontal igual a que o modelo europeu abandonou, mas para-choque diferente parecido com o do 3008 pré-reestilização.

Renault Captur

caros
Renault Captur [divulgação]
Com a primeira geração do Captur fora de linha na Europa desde 2019, a diferença entre o modelo brasileiro e ele ficou ainda maior. O Renault do Brasil usa plataforma B0 do Duster, enquanto o Europeu tem base de Clio. Isso fez o nosso modelo ser 21 cm mais longo, 4 cm mais largo, 5 cm mais alto e com entre-eixos 7 mais longo.

Visualmente o que muda, além do porte, obviamente, é o desenho do para-choque dianteiro. O Captur europeu ainda tem acabamento nitidamente superior ao brasileiro com melhores encaixes e mais superfícies macias ao toque. Agora em sua segunda geração, o europeu segue menor, mas ainda mais sofisticado e parecido com o Clio.

Volkswagen Tiguan

Volkswagen Tiguan 2021 [divulgação]
Volkswagen Tiguan 2021 [divulgação]
Sim, o Brasil vende o Volkswagen Tiguan (ou pelo menos vendia, já que as importações estão temporariamente suspensas), mas a VW lá fora tem algo que nós não temos. Como o Tiguan é um carro caro de fabricar e com acabamento mais sofisticado, a marca alemã desenvolveu junto da China o Taos (lá vendido como Tharu) ao invés de produzir o Tiguan curto na Argentina.

Ambos os carros da Volkswagen feitos sobre a plataforma MQB e usam os mesmos motores, mas o projeto do Taos é de menor custo e visa mercados emergentes, além da América do Norte. Isso fica evidente principalmente na diferença de acabamento entre eles. É por isso que na Europa o Taos não é vendido, já que o Tiguan curto faz o seu papel.

Fiat Fiorino

carros
Fiat Fiorino [divulgação]
Mesmo nome, mas dois carros completamente diferentes. No Brasil, Fiat Fiorino é um furgão baseado no Uno de segunda geração, enquanto na Europa o modelo tem base de Punto, Linea e Corsa, além de versões Peugeot e Citroën (feitas antes dos tempos de Stellantis) já extintas. A única coisa em comum a eles, além do nome, é o motor 1.4 Fire.

O Fiorino europeu tem versão furgão e passageiros, incluindo uma variante com pegada aventureira. Já o modelo brasileiro é totalmente pensado para o trabalho, contando somente com versão Furgão. O deles foi lançado em 2007 e reestilizado em 2016, ficando sem mudanças desde então. O nosso nasceu em 2013 e mudou no fim de 2021.

>>5 versões de alto custo de carros feitos no Brasil

>>Carros que são verdadeiros Frankensteins

>>BYD e Great Wall registram novos carros híbridos no Brasil

Sobre o autor

João Brigato

Um comentário

Clique aqui para comentar

  • Em suma..os carros produzidos aqui são horríveis… é incrível como só ficamos com os restos … exemplo: Duster 4×4…a Argentina tem e a gente não… A versão do 2008 europeu é muito mais bonita do q a nossa, que parece uma perua batizada de SUV…aliás até isso é falso por aqui…pq SUV é um carro com tração traseira ou 4×4…