Curiosidades Destaque

Dodge do México tem carros da Mitsubishi, Fiat e já vendeu Hyundai

Dodge do México é o exemplo da globalização, porque o que eles menos têm são carros da Dodge, mas sim vários Fiat, Hyundai e Mitsubishi
Dodge Vision era um Fiat Grand Siena disfarçado [divulgação]
Dodge Vision era um Fiat Grand Siena disfarçado [divulgação]

Se a ideia da RAM vender Strada, Toro e até Fiorino parece algo completamente fora de contexto quando pensada na realidade além Brasil, prepare-se para descobrir a verdadeira bagunça que é a Dodge do México. Além dos tradicionais muscle-cars, a marca vendeu por lá carros da Hyundai e hoje conta com portfólio que mistura modelos da Mitsubishi e da Fiat.

Em uma mesma concessionária da Dodge do México você pode encontrar o jurássico Journey estacionado ao lado de um Fiat Tipo ou de um Mitsubishi Attrage. Mas até pouco tempo atrás, o showroom também era habitado pelo Fiat Grand Siena com câmbio Dualogic estacionado ao lado de um Challenger Hellcat com motor V8 de 717 cv.

Dodge Attitude 1ª geração [divulgação]
Dodge Attitude 1ª geração [divulgação]

Hyundai Dodge

Antes mesmo da Fiat entrar na jogada e espalhar sua linha de compactos entre as marcas do grupo Chrysler, a Dodge mexicana se aliou à Hyundai para vender modelos de pequeno porte por lá. O acordo começou em 2006 com o lançamento do Attitude, que nada mais era do que um Hyundai Accent de terceira geração com outro nome.

A ideia da Dodge era entrar no segmento de modelos compactos, enquanto a Hyundai poderia vender seus carros no México sem a necessidade de uma operação local. A parceria foi evoluindo e a Dodge chegou a vender também o subcompacto Atos no México como se fosse um legítimo produto da marca norte-americana.

Dodge Attitude 2ª geração [divulgação]
Dodge Attitude 2ª geração [divulgação]
Mas chegou um momento em que a Dodge simplesmente ficou com preguiça de trocar os logotipos da Hyundai pelo seu e vendia o Attitude (Accent) de segunda geração, o Atos e a van comercial H100 com os emblemas da marca sul-coreana. Até mesmo os nomes mudavam e passavam a ser algo como Hyundai Attitude by Dodge.

Em 2013, quando a Dodge já fazia parte do grupo FCA, a parceria foi desfeita. A Hyundai queria atuar sozinha no mercado mexicano, que tinha se provado promissor dada as vendas altas que os modelos by Dodge tinham no mercado. Houve um pequeno hiato entre o fim dos modelos Dodge Hyundai para a comercialização independente.

Fiat e Mitsubishi entram na jogada

Em 2015, sem modelos compactos para chamar de seus, a Dodge resolveu apelar e buscou duas parceiras diferentes. Do Brasil, recrutou o Fiat Grand Siena, enquanto da Tailândia convocou o Mitsubishi Attrage para substituir o antigo Hyundai Accent.

Dodge Attitude 3ª geração [divulgação]
Dodge Attitude 3ª geração [divulgação]
A parceria com a Fiat fazia sentido, afinal a Dodge faz parte do grupo FCA. Mas até hoje poucos entendem o motivo pelo qual a Mitsubishi entrou nesse rolo todo. O sedã Attrage, derivado do Mirage, sempre foi altamente criticado no mercado norte-americano por ser um produto barato e pouco convidativo.

Mesmo assim a Dodge o lançou como terceira geração do Attitude. A diferença para os modelos da Hyundai, dessa vez, foi a grade frontal. A Dodge modificou o desenho da peça para que se encaixasse na identidade visual da marca. Não há logotipos da Mitsubishi no modelo, ao contrário do que acontecia com o Attitude da Hyundai.

Em contrapartida, é oferecido até hoje no México com preços partindo de 196.900 pesos (R$ 51.861). Ele usa motor 1.2 três cilindros aspirado com 76 cv e 10,2 kgfm de torque atrelado à transmissão manual de cinco marchas ou CVT. Com 4,25 m de comprimento, ele é um sedã subcompacto apenas 9 cm mais longo que um Chevrolet Onix hatch.

Me empresta o seu Siena?

Dodge Vision [divulgação]
Dodge Vision [divulgação]
Além dele, a Dodge contou com o Vision entre 2015 e 2018. O modelo nada mais era que o nosso velho Grand Siena importado do Brasil na versão topo de linha Essence com motor 1.6 E.torQ de 115 cv e o criticado câmbio Dualogic. Ele trazia todos os logotipos Fiat trocados por Dodge e mais nenhuma alteração.

Por fim, o último Dodge que não é um Dodge de verdade chegou em 2016 importado da Turquia. Considerado como a terceira geração do Dodge Neon, esse Fiat Tipo Sedan rebatizado nada tem a ver com simpático sedã médio de faróis arredondados que foi vendido no final dos anos 1990.

Lá no México ele é vendido na versão de entrada SE equipada com o velho motor 1.4 Fire que hoje sobrevive apenas na Strada e no Fiorino. Por fim, as versões Sport e GT usam o já descontinuado 1.6 E.torQ de 110 cv. Com porte de Toyota Corolla, o Dodge Neon custa entre 257.400 pesos (R$ 67.695) e 343.900 pesos (R$ 90.445).

>>Fiat Mobi 2021 ganha toques de SUV e fica mais caro que o Kwid

>>Com mais versões, Fiat Grand Siena 2021 é o sedã mais barato do Brasil

>>RAM 700 produzida no Brasil começa a ser vendia no exterior

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar