Avaliação Destaque Novidades

EcoSport entrega prazer ao dirigir na versão 1.5

Versão Freestyle tem motor 1.5 de 137 cv e 16,2 kgfm de torque
EcoSport Freestyle 1.5 (Auto+)

O precursor dos SUVs compactos no Brasil. Esse é o Ford EcoSport, que recebeu uma reestilização em agosto do ano passado para se fortalecer num segmento muito competitivo, e que desde então contou com a chegada de modelos inéditos. E para conferir as mudanças do utilitário, avaliamos a versão Freestyle 1.5 — a mais vendida do modelo.

Mas a maior novidade do EcoSport 2018 não é o tapa no visual que ele ganhou, mas sim o moderno motor três cilindros de 1,5 litro de 137 cv e 16,2 kgfm de torque, que pode ser combinado a um câmbio manual de cinco marchas ou automático de seis velocidades — substituto da criticada caixa automatizada de dupla embreagem Powershift (que curiosamente foi mantida Fiesta 2018). Abaixo, confira a avaliação completa do EcoSport Freestyle 1.5 2018:

Ao volante, o modelo 1.5 se diferencia do antigo motor 1.6 por conta do ronco característico dos motores três cilindros, mas que não chega a incomodar por conta do bom isolamento acústico da cabine, que melhorou. Com mais potência e torque, o EcoSport provou que ficou mais ligeiro e com respostas rápidas ao menor torque do acelerador, ganhando personalidade e deixando um pouco de lado o aspecto de carro de passeio.

Veja mais:

>> Fiesta e EcoSport ganham novo app navegador Sygic

>> Hyundai lança novo Creta Sport 2.0

>> Nissan Kicks recebe 4 estrelas no Latin NCap

Sobre o autor

Avatar

Redação

Um comentário

Clique aqui para comentar

  • Tenho um desse modelo. Sem dúvidas o melhor dentre seus pares, nenhum outro consegue entregar o conjunto que o Novo Ecosport entrega – mesmo alguns modelos com preço maior ficam devendo. Segurança, dirigibilidade, tecnologia, design, economia, acabamento, motorização e outros mais. Após a última reestilização, ficou simplesmente Top 10′. Sai de um 2016 SE (muito bom), para o Freestyle 2018 (ótimo). Agora com a possiblidade de agradar gregos (com estepe na porta traseira) e troianos (sem estepe na porta), a Ford acertou na mão.