Destaque Novidades

Fiat Cronos GSR morre e decreta fim do câmbio automatizado no Brasil

Sempre criticado pelos trancos, câmbio automatizado deixa de existir no Brasil com aposentadoria de Fiat Cronos GSR
Fiat Cronos GSR [divulgação]
Fiat Cronos GSR [divulgação]

Uma era chega ao fim: não existem mais carros automatizados de embreagem única disponíveis no Brasil. Último representante desse polêmico segmento, o Fiat Cronos Drive GSR, finalmente saiu de linha. Alvo de polêmicas e nunca bem aceita pelos brasileiros, especialmente com a popularização do câmbio automático, o câmbio automatizado se despede sem que muitos sintam falta.

Foram poucas as fabricantes que tentaram a sorte no segmento de automatizados no Brasil, sendo a primeira delas a smart com o ForTwo, mas que vendeu tão pouco que poucos se lembram do pequenino, ainda mais com esse tipo de câmbio.

A má fama do câmbio automatizado

A Chevrolet foi a primeira de todas com o Easytronic que equipou Meriva e Agile. Ele foi rapidamente substituído pelo câmbio automático de seis marchas tradicional quando Onix e Spin, sucessores dos modelos anteriormente citados, chegaram ao mercado.

A Renault também tentou a sorte no segmento logo após a estreia da segunda geração de Sandero e Logan. O câmbio Easy’R chegou ao mercado discretamente e durou pouquíssimo tempo, desaparecendo sem alarde. A Renault ficou um bom tempo sem conseguir eliminar a embreagem de seus compactos, até que o câmbio CVT chegou na última reestilização.

Câmbio I-Motion [divulgação~]
Câmbio I-Motion [divulgação~]
Fiat e Volkswagen foram as que mais apostaram nessa alternativa. A Volkswagen trouxe o câmbio I-Motion para up!, Fox, Gol, Voyage, Polo e Polo Sedã. Desde que passou a usar câmbio automático tradicional, apenas up! e Fox não trocaram a antiquada caixa automatizada pela nova transmissão.

Já a Fiat com o Dualogic, depois rebatizado para GSR em 2017, chegou a Uno, Mobi, Palio, Siena, Weekend, Punto e até para a picape Strada. Ponto mais polêmico dessa transmissão está na dupla Linea e Bravo: modelos do segmento de médios e que concorriam com carros com câmbio automático de verdade.

Ou seja, independentemente da marca, o câmbio automatizado sempre foi criticado pelo funcionamento lento e por problemas ao subir rampas e ruas íngremes. Melhorias foram feitas ao longo do tempo, na tentativa de aproximá-los dos automáticos de verdade, mas sempre existiu uma distância longa entre eles.

Câmbio GSR [divulgação]
Câmbio GSR [divulgação]

Apelidos maldosos

Visto que o maior problema estava nos trancos produzidos nas trocas de marchas, a característica rendeu apelidos maldosos como Trancologic, I-Tranco e Easy Tranco. Portanto, a aposentadoria do Fiat Cronos GSR não surpreende e esse segmento morre justificavelmente em favor de transmissões automáticas de verdade, quer seja com conversor de torque ou CVT.

Vale lembrar que a Fiat prepara a transmissão CVT DirectShift do Toyota Corolla para seus modelos no próximo ano. Essa transmissão estará futuramente nos Fiat com o 1.3 aspirado e também nos modelos que receberão o novo 1.0 três cilindros turbo.

Além disso, a Toro e os Jeep Renegade, Compass e o futuro SUV de 7 lugares terão o inédito 1.3 quatro cilindros turbo, que substituirá os velhos 1.8 E.torQ e 2.0 Tigershark, controlados pelo novo câmbio CVT.

>>Câmbio CVT do Toyota Corolla será usado pelos Fiat turbo no Brasil

>>Peugeot 208 2021: entre R$ 74.990 e R$ 94.990, somente automático

>>Volkswagen prepara SUV menor que o Nivus com tamanho de EcoSport

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar