Destaque Novidades

Ford Maverick vai brigar com a Fiat Toro fazendo 17 km/l na cidade

Picape intermediária Maverick da Ford estreia nos EUA em versão híbrida de entrada com consumo de Toyota Corolla Hybrid
Ford Maverick [divulgação]
Ford Maverick [divulgação]

A espera finalmente acabou e a Ford Maverick foi revelada. Rival direta da Fiat Toro e da Hyundai Santa Cruz, a picape intermediária servirá como porta de entrada da marca do oval azul em diversos mercados. Esperada para o Brasil em 2022, ela estreia com consumo de Toyota Corolla Hybrid pelo preço do aposentado Ford EcoSport.

Usando a mesma plataforma do recém-lançado Bronco Sport, a Ford Maverick tem 5,07 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,74 m de altura e entre-eixos de 3,07 m. Comparando à sua irmã mais velha Ranger, a Maverick é 28 cm mais curta, 2 cm mais estreita, 8 cm mais baixa e tem entre-eixos 8 cm mais curto.

Já quando colocada ao lado da Fiat Toro, sua principal rival aqui no Brasil, a Ford Maverick é 13 cm mais longa e tem 8 cm a mais de entre-eixos. Em altura e largura elas são idênticas. Contudo, a capacidade de carga dá vantagem à Toro: são 937 litros e 750 kg na caçamba das versões flex (1.000 kg nas diesel) contra 942 litros e 680 kg na estreante.

F-250, F-150 Lighning, F-150, Ranger e Maverick [divulgação]
F-250, F-150 Lighning, F-150, Ranger e Maverick [divulgação]

Consumo de Corolla

Um dos grandes destaques da Ford Maverick é trazer motorização híbrida logo na versão de entrada. Partindo de US$ 19.995 (R$ 101.048), mesmo preço do EcoSport nos EUA, ela já vem eletrificada. As variantes de base usam motor 2.5 quatro cilindros aspirado de 164 cv e 21,4 kgfm de torque ligado a um elétrico de 128 cv e 23,9 kgfm de torque.

Combinado, o conjunto eletrificado da picape intermediária entrega 193 cv e é gerido por uma transmissão CVT. Segundo a Ford, a Maverick híbrida tem consumo urbano de 17 km/l – ou seja, média semelhante a do Toyota Corolla Hybrid.

Ford Maverick [divulgação]
Ford Maverick [divulgação]
Já as variantes mais caras usam o mesmo 2.0 EcoBoost quatro cilindros turbo do Bronco Sport. Porém, com 253 cv e 38,3 kgfm de torque. No SUV são 240 cv e 38 kgfm de torque. São números suficientes para colocar a Fiat Toro Flex com seu motor 1.3 turbo de 185 cv e 27,5 kgfm para comer poeira. Aqui, o câmbio é automático de oito marchas.

Vendida nas versões XL, XLT e Lariat, as duas configurações mecânicas da picape Ford alteram também seu layout de suspensão. As versões híbridas tem sistema McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. Já as Maverick turbo usam suspensão multi-link na traseira com opção de tração nas quatro rodas.

Há ainda pacote opcional FX4 com rodas de 17 polegadas exclusivas e pneus all-terrain, além de tela maior no painel de instrumentos, assistente de descida e ganchos de reboque. A versão Lariat traz pacote Luxury que engloba sistema de som B&O, piloto automático adaptativo, central multimídia de 8”, LEDs na caçamba e carregador de celular sem fio.

F-150 miniatura

Visualmente é impossível negar que a Ford Maverick tem inspiração na F-150. Em menor escala, a picape intermediária traz visual robusto e alguns elementos que já se tornaram conhecidos no modelo gigantesco. Prova disso é a integração entre a grade frontal e os faróis em formato de C.

Ford Maverick [divulgação]
Ford Maverick [divulgação]
O para-choque tem estilo robusto, bastante quadrado e com entradas de ar somente na parte inferior. Já o capô reto e a falsa saída de ar lateral fazem um aceno visual ao Bronco Sport. Para-brisa pouco inclina e vidro traseiro reto remetem às picapes médias com porte maior que o da estreante.

Já na traseira, lanternas com desenho parecido com o da Ranger trazem iluminação em LED. O nome Maverick vem estampado na tampa da caçamba e foi um dos primeiros detalhes da picape vazados no começo de seu desenvolvimento. Já a placa de identificação fica deslocada para a direita por conta da área de reboque.

Ford Maverick [divulgação]
Ford Maverick [divulgação]
Com elementos do Bronco Sport, a cabine tem melhor acabamento que a da Ranger. A Maverick usa o mesmo volante do SUV, assim como os comandos do ar-condicionado. Há uma larga faixa com material contrastante dando o tom para a central multimídia, que é acompanhada por um nicho na lateral da tela.

>>Ranger Black: urbana, elegante e bom custo-benefício | Avaliação

>>Ford por R$ 179.900: Territory SEL ou Ranger Black? | Comparativo

>>Ranger Storm é custo benefício para estrada e terra – Avaliação

Sobre o autor

João Brigato

23 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Queria entender como essa conta fecha. Como pode um carro que é claramente superior ao EcoSport em tudo custar o mesmo preço que ele? 🤔

    • A Ecosport americana é fabricada na Índia, e é consideravelmente melhor do que a que foi vendida aqui, e o preço acompanha. E vale apostar que a Ford adotou uma política de preços bastante agressiva para a Maverick.

    • É o típico título chamariz de reportagem… É o mesmo preço nos EUA, mas mesmo assim, sendo derivada do Bronco, ela devia ter um preço parecido com ele, talvez um pouco menos, pois as pick ups, costumam ser um pouco mais em conta que seus suvs que derivam… vai iniciar pelos 200 mil na básica e vai chegar la nos 250 mil na topo.

    • Impostos e mais impostos, por isso o preço abusivo. O povo precisa sustenta o “alto escalão público” com salários que iniciam em 30mil e vai embora, fora os benefícios. Aí temos que nos virar nos trinta com carros usados, seminovos, ou novos pelados pra não precisar depender do transporte público que é um pesadelo. Eu amo meu País, mas tá difícil com essa corja de ladrões nos sugando.

  • Ford nunca mais. Tive Corcel, Del Rey e Fusion, eram carros bons.
    Mas, quem abandona os clientes não merece crédito.
    Como diz um provérbio popular: ” quem foi para Portugal, perdeu lugar”.

    • Bom dia todo lugar se ve del rey belina pampa escort guia e xr3 depois verona Versalis focus fusion ka ecoespirt ranger f1000 4000 caminhao ford .O que fizeram com o dinheiro das vendas dos carros a ford sempre vendeu bem e nao pagava aluguel cpi neles.A fabrica tem que voltar pelo menos 1 em respeito ao cliente da marca.Reducao de custo sim mas abandonar o Brasil nunca .Movimento volta pelo menos uma fabrica ka e ecosport pelo menos para os mais humildes.

    • Corretíssimo. Concordo plenamente. Os brasileiros deveriam esquecer essa marca. Abandonou a todos. Agora quer trazer de fora e vender aqui. O problema é que o brasileiro não tem vergonha. Se fosse o contrário, queria ver se os americanos iam comprar.

  • Nos EUA U$ 20 mil = R$ 100 mil
    Ecosport mais completo lá do que aqui menos valores
    Já aqui Braziil zil zil, Ecosport semi-pelado custava R$100 mil
    Portanto a Maverick deveria custar no mínimo R$100 mil, mas custará + de 200 mil, podem acreditar.
    Não existe papo furado de custo Brasil nem imposto de importação pq ela vem do México.
    O que vai explicar é a ganância mesmo.

  • TIVE UM FUSION TITANIUM AWD 2017, CONTINUAM VENDENDO NA ARGENTINA COM OUTRO NOME, AQUI NO BRASIL ABANDONARAM, TIVE 7 CARROS DA FORD, ERA UM APRECIADOR DA MARCA, MAS AGORA NÃO RECOMENDO A COMPRA DOS CARROS QUE TRAZEM , DEIXARAM DE FABRICAR NO BRASIL, NA ARGENTINA E URUGUAI CONTINUAM FABRICANDO, GERARAM DESEMPREGO E MUITA TRISTEZA NO PAÍS, QUE VENDAM NOS MERCADOS QUE TEM FÁBRICA.

  • Não entendo muito de carro que nem vocês mas o que vocês acham do valor do Voyage chegar a 90 mil reais eu particularmente acho um absurdo prefiro um Toyota yares

  • Não acredito que a Ford vai brigar com a Fiat. Sou um consumidor que tenho poder aquisitivo para carros até 200mil e não tenho menor interesse em comprar um Ford depois do papelão que ela fez no Brasil

  • Bem a Ford não tem respeito como Brasil, logo nunca terá meu respeito e dê muitos que perderam dinheiro com a desvalorização dos carros tendo em vista a paralização de fabricação.
    E outra coisa a toró e mais carro, mais moderna e tem respeito com o Brasil e os Brasileiros.