Destaque Novidades

Ford não deixará o Brasil, só não fabricará mais carros aqui

Agora atuando como uma importadora, Ford manterá operação no Brasil e garantia dos modelos vendidos será assegurada
Ford EcoSport [divulgação]
Ford EcoSport [divulgação]

A notícia de que a Ford deixaria de fabricar carros no Brasil caiu como uma bomba no começo dessa semana. O anúncio foi contemplado por uma enxurrada de comentários e reações nas redes socais que, infelizmente, levaram à desinformação. Por isso é importante ressaltar: a Ford não sairá do Brasil.

Assim como aconteceu com a Mercedes-Benz, a Ford apenas fechará suas fábricas no Brasil, passando a atuar como importadora. Não haverá mais nenhum carro do oval azul produzido em solo nacional. Por aqui teremos apenas carros importados. Mas toda estrutura atual da Ford continua.

Ford Edge ST
Ford Edge ST [divulgação]
Ou seja, concessionárias serão mantidas, as garantias dos carros comercializados até agora continuarão vigentes e a Ford ainda fará todo suporte de manutenção e peças para os modelos que saíram de linha, cumprindo com as exigências da lei.

Portando, qualquer rumor sobre a saída da Ford no Brasil é falso. A marca continua firme e forte. A estratégia apenas mudou. Prova disso é que 2021 será recheado de lançamentos da marca, todos, obviamente, importados.

Ford Territory [divulgação]
Ford Territory [divulgação]

De onde virão os Ford brasileiros?

O foco da Ford agora será produzir fora do Brasil e importar os modelos para cá. Da atual linha temos diversos países diferentes fornecendo carros para as revendas locais. O SUV médio Territory vem da China, enquanto o SUV grande esportivo Edge ST sai do Canadá direto para as nossas terras.

Temos a Ranger importada da Argentina e o esportivo Mustang montado nos Estados Unidos e enviado ao nosso país. Para 2021 a Ford trará do Uruguai a van comercial Transit, enquanto do México será importado do SUV Bronco Sport.

Mustang Mach 1 (divulgação)

O que acontece agora com Ka e EcoSport?

Com o fechamento da fábrica de Camaçari, na Bahia, imediatamente foram retirados de linha Ka, Ka Sedan e EcoSport. A marca possui amplo estoque para atender à rede de concessionárias por mais alguns meses. Contudo, ambos já podem ser declarados como carros fora de linha.

Isso afetará diretamente o valor do trio no mercado de usados, pois um carro quando sai de linha tende a desvalorizar mais. Por isso, é uma boa hora para barganhar nas concessionárias pelos modelos 0km ou tentar a sorte com um usado com valor menor.

Ford EcoSport Storm [divulgação]
Ford EcoSport Storm [divulgação]

E o futuro do Ka e do EcoSport?

A situação nebulosa paira sobre o futuro de Ka e EcoSport no Brasil. O hatch compacto ganharia uma renovação visual pesada, ao estilo Hyundai HB20, mas o projeto foi descartado. Um SUV subcompacto para substituí-lo estava em desenvolvimento, mas pode ter sido engavetado.

Esse modelo seria oferecido no Brasil e na Índia, mas a operação indiana da Ford também é deficitária e corre risco de fechar em definitivo, visto que a parceria com a Mahindra azedou. Já o caso do EcoSport é mais complexo, mas menos ruim, por assim dizer.

Ford Ka Sedan [divulgação]
Ford Ka Sedan [divulgação]
Com status de modelo global e um dos SUVs mais vendidos da Ford atualmente, ele tem grandes chances de ter uma nova geração. Esse novo Eco já estava em desenvolvimento aqui no Brasil e deverá seguir com o projeto. Ele será maior para finalmente concorrer em igualdade com outros SUVs compactos.

A diferença fica por conta do local de produção. Hoje o EcoSport é fabricado em Chennai (Índia), Craiova (Romênia), Chongquing (China) Hai Doung (Vietnã) e Naberezhny Chelny (Rússia). Provavelmente somente a Romênia e China manterão a produção do EcoSport na próxima geração, de onde ele deve ser importado para o Brasil.

Ka [divulgação]
Ka [divulgação]

>>Ford Ranger Storm é custo benefício para estrada e terra – Avaliação

>>CAOA, dona da Volvo e mais chinesas interessadas em fábrica da Ford

>>Bomba: Ford não produzirá mais carros no Brasil

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

8 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Matéria sem noção, se os carros serão importados ficará mais caros, se as peças são importadas para manutenção, significa mais dinheiro, vale lembra que o Brasil n usa dólar e sim real e o dólar é sempre mais caro ou seja manter um Ford no Brasil vai ser o mesmo que manter uma BMW ou um Mercedes, como nos no Brasil n tem esse dinheiro a Ford ficará restrita ao mais ricos e de uma certa forma veremos menos carros na rua com já acontece com toda empresa que importa carros para o Brasileiro, e acabarar no esquecimento de muitos…

  • Tirando a Ranger, até o momento atual, gostaria de saber como a Ford atingirá escala de vendas sabendo que seus futuros modelos serão caríssimos e já a todos não agradam o mercado pois vê-los nas ruas já e a coisa rara?

  • A grande verdade reside no fato de que a poderosa FORD vinha caminhado como tartaruga, nos últimos anos, no quesito renovação e enfrentamento da concorrência, oferecendo veículos bons e bonitos mas defasados em tecnologia embarcada no Bradil, design, mecânica e pós venda sofrível. Nunca reconheceu, em tempo, seus erros nos câmbios PowerShift que ajudou na crescente descrença de seus produtos top. Se o custo Bradil é ruim pra ela, igualmente é ruim para as demais, que ainda continuam lutando pelo nosso mercado. Derrocada anunciada, simples assim…

    • Tenho um Ecosport Titanium 2019. Me sinto no mínimo enganado por uma superestrutura que não consegue competir com os demais e simplesmente nos vira as costas. Como fica o poder de revenda desses veículos da Ford? NÃO ESTÁ DEIXANDO O BRASIL???? É HILÁRIO.

      • Bom dia. Estou na mesma situação que você, Eco Titanium 2019 e também não sei o que fazer. Mas tenho uma certeza, não vendo de jeito nenhum, vou esperar para ver o que vai acontecer.

Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva