Destaque Novidades

Great Wall brigará com Compass, Taos e Corolla Cross com SUV híbrido

Haval H6 será a primeira aposta da Great Wall no Brasil, com mira apontada para o trio de ouro dos SUVs médios: Compass, Taos e Corolla Cross
Haval H6
Haval H6 [divulgação]

Junto da BYD, a Great Wall representa a nova fase das marcas chinesas no Brasil. Contudo, enquanto sua conterrânea aposta no segmento de luxo, brigando com Audi, BMW, Mercedes e Volvo com modelos 100% elétricos, a Great Wall convocou a marca de SUVs Haval e o médio H6 para brigar com Jeep Compass, Toyota Corolla Cross e Volkswagen Taos.

O trio de ouro dos SUVs médios no Brasil terá a forte concorrência do Great Wall Haval H6 que virá somente em versões híbridas. “É com essas marcas que iremos competir, na faixa de preços deles, trazendo o diferencial do híbrido e do plug-in híbrido dentro deste segmento, dentro destas faixas de preço”, explica Oswaldo Ramos, COO da Great Wall Brasil.

Três híbridos

Por isso, o Haval H6 será vendido em três variantes híbridas. A Great Wall explicou como seus sistemas híbridos funcionam, mas não revelou os números para o Haval H6. A primeira será uma híbrida tradicional, bem de olho no Toyota Corolla Cross Hybrid. Ele combina motor 1.5 quatro cilindros turbo a um motor elétrico.

Haval H6 [divulgação]
Haval H6 [divulgação]
Esse conjunto combina motor 1.5 quatro cilindros turbo e tração dianteira. A potência varia entre 243 cv e 393 cv, enquanto o torque gira entre 54 kgfm e 58,2 kgfm. Já o híbrido plug-in é apresentado em duas variantes. A primeira traz um motor elétrico combinado ao 1.5 turno, gerando os mesmos números de potência e torque do híbrido tradicional.

A diferença é que ele pode rodar até 200 km somente com motor elétrico: uma vantagem gigante frente ao Jeep Compass 4xe que roda até 44 km com carga cheia, enquanto o CAOA Chery Tiggo 8 Pro faz até 77 km só na eletricidade. Por fim, a versão híbrida plug-in com tração 4×4 é a mais potente, mas não tão eficiente.

Haval H6 [divulgação]
Haval H6 [divulgação]
Roda até 180 km com autonomia elétrica, mas tem potência variando entre 393 cv e 483 cv. O torque é fixo em 77,7 kgfm. Para prover tração nas quatro rodas, tem um motor elétrico na traseira.

Seis modos

O interessante do sistema híbrido (plug-in e tradicional) da Great Wall é que ele funciona com seis modos diferentes. Até 35 km/h no tradicional e até 140 km/h no plug-in, o modo EV é acionado onde apenas o motor elétrico traciona as rodas.

Haval H6 [divulgação]
Haval H6 [divulgação]
Se mais força é exigida, entra o modo Serial nos dois tipos de híbridos. Funcionando até 60 km/h, o motor a combustão funciona como gerador de energia para carregar as baterias e não traciona as rodas. Ele funciona em rotação ideal para baixar o consumo ao máximo, mas usa o motor elétrico como impulsionador do carro.

Em modo paralelo Low Speed o motor a combustão traciona as rodas e o elétrico auxilia a operação. Funciona entre 60 km/h e 70 km/h para manter a eficiência máxima do conjunto. Acima de 70 km/h entra o paralelo High Speed que funciona da mesma maneira, mas o motor câmbio trabalha em marcha alta.

HAVAL H6
Haval H6 [divulgação]
Por fim, o paralelo Full Power usa toda força do motor a combustão e do elétrico para impulsionar o carro da Great Wall. Para recuperar parte da energia gasta, ainda há o modo Regenerativo que recupera energia elétrica através do pedal de freio ou declives. Há modo One Pedal como em carros 100% elétricos.

O Great Wall Haval H6 será o primeiro modelo da marca no Brasil com esses sistemas. Mas outros virão em seguida. O SUV médio rival de Compass, Taos e Corolla Cross será lançado ainda neste ano. A GWM ainda confirmou que a marca de elétricos Ora atuará no Brasil também.

>>Jeep Compass 4xe híbrido vale os R$ 349.990 ou melhor comprar um Corolla Cross?

>>Fusca da Great Wall caçoa de mulheres com modos machistas

>>Flagra: SUV mais vendido da China, Haval H6, roda em testes no Brasil

Sobre o autor

João Brigato

2 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Sou daqueles que está ANSIOSÍSSIMO por ver e experimentar os carros da marca. Caoa Chery já mostra o quanto os carros chineses evoluíram. A GWM, me parece a bola da vez no mercado, no melhor sentido do termo.