Destaque Novidades

Lada lança Granta com tecnologia de 1996 e mais rústico que um Celta

Junte crise dos semicondutores com guerra na Rússia e isso resultará em um Lada Granta 2022 com menos itens que um Celta usado
Lada Granta [divulgação]
Lada Granta [divulgação]

Depois de ser vendida pela Renault por centavos, a Lada retomou a produção de carros na Rússia com uma importante novidade: o novo Lada Granta Classic. Engana-se, porém, quem pensa que o modelo é moderno como o visual tenta transparecer. Ele tem tecnologias de 1996 e menos itens que o último Chevrolet Celta feito no Brasil.

O Chevrolet Celta sempre foi conhecido por sua simplicidade. Contudo, quando morreu em 2015, era vendido com airbags duplos, freio ABS, ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros e direção hidráulica. Sabe quais desses itens estão presentes no Lada Granta Classic? Só o vidro elétrico dianteiro, porque o ar-condicionado é opcional.

A Lada tirou tudo do Granta para que pudesse voltar a fabricá-lo mesmo com semicondutores escassos. Reduziu o carro ao essencial e mais básico possível com o objetivo de vendê-lo barato e também reativar a fábrica, que estava fechada por conta da guerra e da falta de abastecimento de peças.

Lada Granta [divulgação]
Lada Granta [divulgação]
Até mesmo o pré-tensionador do cinto de segurança foi arrancado do Lada Granta, mas ele manteve Isofix, preparação para som e para-choques pintados na cor da carroceria. A Lada também mexeu no motor 1.6 8V de 90 cv, que passa a emitir muito mais poluição do que antes.

O Lada Granta Classic antes atendia às normas de emissões Euro 5 de 2009 a qual determinava emissão máxima de 1 g de CO² por quilômetro rodado e 0,08g de NOx (óxido de nitrogênio) por km rodado. Agora, ele passa à atender ao Euro II de janeiro de 1996 no qual permite emissão de 2,2 g/km rodado de CO² e não tem limite de NOx. Ou seja, a poluição emitida dobrou.

Lada Granta [divulgação]
Lada Granta [divulgação]
Apesar disso, a Lada garante que o Granta Classic mantém a mesma performance de antes. Ele acelera de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos e faz média de 14,7 km/l. Tudo isso foi necessário para reduzir o preço de 841.400 rublos (R$ 73.521) da versão Luxo para 675.900  (R$ 59.058) na nova Classic. Vale lembrar que o modelo tem zero chances de ser vendido no Brasil.

>>Renault vai vender a marca Lada por menos de R$ 1 para a Rússia

>>Nova geração do Mitsubishi ASX terá motor de Renault Duster

>>BMW Série 7 2023 vem com TV 4K de 31 polegadas instalada no teto

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar