Destaque Novidades

Mercedes-AMG E 63 S desembarca no Brasil por R$ 699,9 mil

Sedã traz motor V8 4.0 biturbo de 612 cv e aceleração de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos
Rodas têm 20 polegadas (divulgação)

Sete meses depois de chegar ao Brasil, a décima geração do Classe E chega ao país em sua versão topo de linha (e mais bruta): o Mercedes-AMG E 63 S, um sedã com desempenho suficiente para dar muito trabalho a superesportivos italianos. Mas prepare o bolso, pois ele desembarca por R$ 699.900.

Segundo a divisão esportiva da marca das três estrelas, o E 63 S estreia o motor mais potente oferecido até então por aqui: um V8 4.0 biturbo de 612 cv e 86,7 kgfm de torque. Lembra da capacidade de enfrentar superesportivos? Não é à toa, pois o sedã acelera de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos e atinge a máxima de 300 km/h (limitado eletronicamente), tudo isso levando quatro pessoas a bordo.

Mercedes-AMG E 63 S (divulgação)

O modelo usa transmissão automatizada de dupla embreagem de nove marchas, que despeja sem dó sua força para a tração integral. Já o sistema 4Matic + sofreu evoluções e traz sistema de distribuição variável de torque, além de permitir o motorista abrir um sorriso no rosto ao jogar de lado o sedã no modo drift.

O Mercedes-AMG E 63 S pode sofrer de bipolaridade, já que se porta como um sedã executivo a um carro de pista por conta dos modos de condução AMG Dynamic Select – que altera respostas do motor, transmissão, regulagem da suspensão e da direção, ESP e o sistema de tração integral em cinco níveis: “Comfort”, “Sport”, “Sport+”, “Race”, além do “Individual” – personalizado pelo motorista. Quando acionado o modo “Comfort”, o câmbio desacopla em velocidades entre 60 km/h e 160 km/h, além de desligar quatro cilindros do motor V8 para economizar combustível.

No estilo, se destacam os para-choques com grandes entradas de ar, rodas de 20 polegadas pintadas de preto, spoiler traseiro, e também o difusor traseiro que acomoda as quatro saídas de escapamento retangulares. Na cabine, o luxo comum às versões mais “mansas” se mantém, mas com um toque de esportividade por conta das inserções de fibra de carbono no painel e nas portas, e revestimento de couro Alcantara no volante e bancos.

Estão presentes também no E 63 S as tecnologias já oferecidas na gama Classe E, como o sistema de condução semiautônoma, que inclui o controle de direção ativo em velocidades de até 210 km/h, assistente de faixa, controle de velocidade adaptativo, detector de pedestres e alerta de ponto cego.

Veja mais:

>> BMW inicia vendas do Série 5 no Brasil

>> Conceito da picape Classe X é destaque da Mercedes em Buenos Aires

>> Mercedes-Benz C300 Sport à venda por R$ 241,9 mil

Sobre o autor

Avatar

Redação

Comente

Clique aqui para comentar

Encontre peças e acessórios





Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva