Destaque Novidades

Mercedes-Benz matará câmbio manual para investir em elétricos

Ideia da Mercedes-Benz é nunca mais oferecer carros manuais em seu portfólio, cortar motores a combustão e investir em elétricos
Mercedes-Benz apresenta futura linha EQ [divulgação]
Mercedes-Benz apresenta futura linha EQ [divulgação]

Para investir no segmento de modelos elétricos, a Mercedes-Benz vai cortar custos em forma de redução de conjuntos mecânicos disponíveis em seu portfólio. A marca eliminará totalmente a transmissão manual de seus carros, diminuirá a oferta de motores a combustão e eletrificará toda a linha.

Em um teaser, a Mercedes-Benz revelou três de seus próximos elétricos e prometeu mais. O teaser mostra dois sedãs diferentes e um SUV, podendo eles serem EQS, EQE Sedã e EQE SUV.

Mercedes-Benz apresenta futura linha EQ [divulgação]
Mercedes-Benz apresenta futura linha EQ [divulgação]
Vale lembrar que os modelos elétricos da Mercedes-Benz recebem o nome E e a letra equivalente ao modelo Classe o qual possui porte e posicionamento de mercado semelhante. Assim, o EQS é o equivalente elétrico ao Classe S, enquanto o EQE é o elétrico com porte de Classe E, ou de GLE se for a versão SUV.

A marca promete que o EQS será o primeiro a ser lançado, com estreia marcada para 2021. O maior e mais luxuoso sedã EQ da Mercedes-Benz terá autonomia de 700 km, o que fará dele o carro elétrico de produção em massa com a maior autonomia do mercado, superando o Tesla Model S, seu principal concorrente.

Futura linha EQ [divulgação]
Futura linha EQ [divulgação]
Além disso, a Mercedes-Benz também terá o EQA e o EQB. Diferentemente dos outros modelos citados, o EQA será a versão elétrica do SUV compacto GLA, enquanto o EQB fará a mesma coisa com o GLB. A carroceria será pouco modificada, ficando claro de quem eles derivam.

Haverá ainda modelos elétricos assinados pela grife Maybach, provavelmente sendo restritos aos Mercedes-Benz EQ mais caros, como hoje já acontece entre os sedãs e os SUVs. A AMG também pretende se eletrificar através de sistemas híbridos potentes e econômicos. Até mesmo o cultuado e clássico Classe G será eletrificado de alguma forma, garante a marca.

Futura linha EQ [divulgação]
Futura linha EQ [divulgação]
Para que isso ocorra, a Mercedes-Benz diminuirá a oferta de motores a combustão em seus modelos. É possível que a fabricante alemã faça como a Volvo que conta apenas com dois motores (1.5 e 2.0) com diversos acertos diferentes de potência para toda a sua linha de modelos. Nessa conta, o câmbio manual também desaparecerá dos modelos com estrela no capô.

>>Peugeot vai atrás de Mercedes C43 AMG e Audi S4 com novo 508 PSE

>>Comparativo: A35 AMG e Clubman JCW na disputa dos 306 cv

>>Avaliação: Mercedes-Benz A35 AMG combina terno, capacete e tênis

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar