Destaque Novidades

Mercedes confirma que novo C63 terá 670 cv, mas sem um V8

Agora híbrido e com motor quatro cilindros, nova geração do Mercedes-Benz C63 AMG será mais potente, mas sem o mesmo som
C63
Mercedes-Benz C300 [divulgação]

Foi o fim de uma era: o Mercedes-Benz C63 AMG nunca mais terá um motor V8 debaixo do capô. Rumores já apontavam que o novo modelo teria um 4 cilindros turbo por conta da nova plataforma que só permite esse tipo de motor, o que foi confirmado pela Mercedes. Mas a surpresa é que ele será híbrido.

Enquanto o antigo Mercedes-Benz C63 AMG testado aqui no Auto+ na versão S usava um motor 4.0 V8 de 510 cv e 71,4 kgfm de torque, o novo cortará tudo pela metade. A nova geração usará motor 2.0 quatro cilindros de 470 cv. Considerando que é um motor com metade do deslocamento e dos cilindros do anterior, ter só 40 cv a menos já é louvável.

Mas a Mercedes não quer desonrar o legado dos modelos 63 AMG, por isso convocou o reforço de um motor elétrico de 201 cv que será posicionado na traseira do sedã esportivo. Ou seja, ele se manterá como um modelo movido pelo eixo traseiro, mas haverá uma mudança crítica.

Classe C
Mercedes-Benz C300 [divulgação]
A marca ofertará tração 4Matic, mas ainda não ficou claro se será padrão de todo C63 AMG ou se será um item opcional. Outra ajuda elétrica virá do sistema de 48V que usa um motor elétrico no lugar do alternador para baixar ainda mais o consumo e permitir o carro andar em velocidade constante com o motor desligado.

Como resultado, serão 670 cv e 76,5 kgfm – um aumento de 160 cv e 5,1 kgfm em relação ao antigo C63 AMG.  Com isso, a AMG promete que seu modelo novo será mais potente, mais econômico e ainda mais forte. E para alegria dos fãs (e dor de cabeça de Audi RS 4 e da ainda inédita BMW  M3 Tourer), haverá uma versão perua do C63 AMG.

Classe C
Mercedes-Benz C300 [divulgação]
A penalidade dessa geração é no som do motor. Até porque o inebriante borbulhar dos oito cilindros em V não poderá ser igualado por um quatro cilindros eletrificado. Especialmente se ele tiver capacidade de rodar somente na eletricidade.

>>Mercedes-Benz C63 AMG S e a triste despedida do motor V8 – Avaliação

>>Mercedes-Benz Classe C 2022 chega ao Brasil por R$ 349.900

>>Último Mercedes-Benz manual da história será feito no ano que vem

Sobre o autor

João Brigato

Um comentário

Clique aqui para comentar

  • Pra variar, mais um carro feio da Mercedes. Poderia ter competência no design igual tem no desempenho, segurança e mecânica.