Novidades Racing

Punição polêmica tira vitória de Vettel no Canadá

Com punição de 5 segundos para Vettel, vitória caiu no colo de Hamilton
Ferrari F1 (divulgação/LAT Images)

O líder da corrida perde o controle do carro por um instante. Vai pra fora da pista, corta caminho, mas não leva vantagem. Só que na hora de voltar, acaba fechando involuntariamente o adversário, que, sem ter pra onde ir, permanece em segundo. Esta foi a manobra que tirou de Sebastian Vettel uma provável vitória no GP do Canadá, disputado no domingo, 9.

Os comissários entenderam que o que ele fez merecia punição e aplicaram 5s ao tempo final de prova de Vettel. O que se viu a partir daí foi uma excelente disputa se transformando em um espetáculo bizarro. Lewis Hamilton teve apenas de manter o adversário ao alcance, porque seria alçado ao primeiro lugar assim que ambos cruzassem a linha de chegada.

Vettel ficou inconformado, especialmente porque esta era a maior chance de vitória da Ferrari desde o GP do Bahrein, em março, em que um problema mecânico tirou uma conquista praticamente certa das mãos de Charles Leclerc, companheiro de equipe dele. Vettel havia largado na pole position (a primeira desde julho de 2018) e dominou a prova inteira em Montreal.

GP do Canadá (divulgação/Ferrari e LAT Images)

“Você precisa ser tonto pra pensar que pode ir para a grama e controlar o carro. Eu tive sorte por não ter atingido o muro. Que diabos eu tinha que fazer? Isso não é justo”, reclamou, ainda pelo rádio. Assim que estacionou, fez uma certa ‘cena’, recolhendo-se ao centro de hospitalidade da Ferrari em vez de conceder a entrevista que antecede o pódio, que é protocolar. Depois, quando finalmente se dirigiu ao pódio, ainda tirou a placa de primeiro lugar da frente do carro de Hamilton e colocou à frente do espaço vago, que estava destinado a ele.

O público celebrou as atitudes e, no pódio, chegou a vaiar Hamilton. Vettel pediu que as manifestações parassem, alegando, acertadamente, que o adversário nada tinha a ver com aquilo. De fato, Hamilton chegou a dizer pelo rádio que não era daquele jeito que ele planejava vencer. Foi mesmo um balde de água fria para todo mundo que assistia à corrida.

A decisão levantou mais críticas ao rigor dos comissários da F-1, que praticamente inibem as disputas ao considerar dignas de punição quaisquer movimentos que fujam do habitual – o que transforma os esporte às vezes numa chatice. E acabou dando a Hamilton uma vitória de presente, inesperada, e que lhe permitiu ampliar a vantagem na liderança do campeonato.

Agora, Hamilton tem 162 pontos. Valtteri Bottas, quarto colocado no Canadá, segue como vice-líder, somando 133. Vettel é o terceiro com 100. No pelotão intermediário, vale destacar a corridaça de Daniel Ricciardo, que largou em quarto lugar e terminou em sexto, em uma reação bastante interessante por parte da Renault.

Outro que chamou a atenção foi Lance Stroll. O piloto da casa largou apenas em 17º depois de enfrentar problemas de motor no último treino livre, mas veio ganhando posições ao longo da prova e fez a festa da galera chegando em nono lugar, o que lhe garantiu dois pontos. A próxima etapa é o GP da França, no dia 23 de junho.

Tiago Mendonça, de Montreal

Veja mais:

>> Hamilton pode igualar recorde de Schumacher no Canadá

>> Duelo entre Hamilton e Bottas salva temporada da F-1

>> As 7 vidas que Alonso já gastou na Fórmula 1

Sobre o autor

Tiago Mendonça

Tiago Mendonça

Comente

Clique aqui para comentar

Encontre peças e acessórios





Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva