Destaque Novidades

Renault Sandero agora só com motor 1.0 no Brasil ou esportivo RS

Redução da gama de modelos da Renault afetou diretamente o Sandero que foi novamente reposicionado como carro barato da marca
Renault Sandero [divulgação]
Renault Sandero [divulgação]

Quando a Renault apresentou a reestilização de Sandero, Logan e Stepway há cerca de dois anos, a ideia era elevar o patamar dos modelos. Eles ganharam iluminação em LED, novos itens de série e até câmbio automático. Mas o mercado rejeitou e agora eles foram novamente reposicionados na gama.

A Renault havia sinalizado há um tempo que o Sandero não estava tão bem assim nas versões topo de linha. Isso ficou claro quando os modelos com câmbio CVT foram tirados de linha, ainda que câmbio automático seja uma enorme demanda de mercado no Brasil.

Sandero 1.6 morreu

Agora, a baixa foi ainda mais grave: o Renault Sandero será vendido no Brasil somente com motor 1.0 SCe três cilindros aspirado de 82 cv e 10,7 kgfm de torque. A informação foi confirmada pela própria Renault em contato com o Auto+. Não há mais Sandero 1.6 – opção que foi oferecida ao hatch compacto desde seu lançamento no Brasil.

Renault Sandero RS [divulgação]
Renault Sandero RS [divulgação]
Quem quiser o hatch compacto com mais potência terá de apelar para o esportivo Sandero RS com motor 2.0 quatro cilindros aspirado de 150 cv e 20,9 kgfm de torque. Outra opção é o aventureiro Stepway, que é tecnicamente um Sandero, sendo o único da linha equipado com o 1.6 SCe de 118 cv e 16 kgfm de torque.

Assim, a gama Sandero passa a ser composta pelas versões Life 1.0 (R$ 60.690), Zen 1.0 (R$ 64.090), GT Line 1.0 (R$ 66.790) e RS (R$ 85.890). Já o Stepway tem as versões Zen 1.6 manual (R$ 76.990) e Iconic CVT (R$ 89.190). Vale lembrar que o aventureiro é o único da família com opção de câmbio automático CVT, visto que o Logan automático também morreu.

Renault Logan CVT
Renault Logan CVT [divulgação]
O sedã compacto, ao contrário do Sandero, ainda tem versão 1.6 – especificamente a Zen de R$ 74.390. Contudo, o grosso está concentrado nas opções 1.0, divididas entre Life (R$ 63.690) e Zen (R$ 66.990).

O que vem no futuro?

Com isso, o reposicionamento de Sandero e Logan abre espaço para que seus sucessores (que terão outros nomes) possam conviver dentro da gama Renault por um tempo. Os novos modelos terão importantes evoluções de acabamento, equipamentos e visual. Além disso, terão novamente opção de câmbio automático.

>>VW Golf, Renault Clio e Peugeot 208: mais vendidos da Europa em 2020

>>Kiger, o SUV do Renault Kwid, é revelado e deve ser vendido no Brasil

>>Renault Oroch deve ganhar nova geração em 2022 com status global

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

9 Comentários

Clique aqui para comentar

  • E pensar que em 2.018 comprei um Golf Zero 1.0 TSI com teto solar e rodas 17 por 88.900 e agora vejo o preço do Stepway Iconic por 89.100, é algo surreal.

    • Incrível mesmo! O que está acontecendo? Uma hora ou outra vai quebrar de vez esse país… Não sei como vendem carro ainda… A VW já inicia o gol com 58 mil.

    • Um baita tiro no pé que a Renault vai fazer, achou que colocar um led no farol e na lanterna iria vender mais carros. Enquanto tiver mane gastando dinheiro com essas carroças oferecidas hj…as montadoras agradecem.

  • Renault tirando motor 1.6, vai perder mercado, quem vai querer um carro 1.0 com 82cv para subir a serra de Ubatuba não serve, para alugar também não serve você vai querer um carro bom que anda e econômico isto o motor um 1.6 oferece.

  • A inflação está muito alta e os economistas não falam para não atrapalhar ainda mais a situação dos brasileiros, o pt camuflava tudo. Por isso eles queriam se terpetuar no poder, iam roubar tudo.
    Agora as brechas estão sendo fechadas, porém veio o recesso da pandemia.
    Os fabricantes sentem na pele o preço de materiais e insumos, eles trabalham com valores reais e a nossa população cada vez mais pobres, na beira do caos de Cuba e Venezuela, vamos dar nosso voto de confiança ao nosso presidente, certamente ele corrigirá os erros do passado passado.

  • O Brasil de Bolsonaro e Paulo Guedes voltou aos anos 80, quando só rico tinha acesso a carro zero. Classe média nem se ganhar o carro consegue andar nele com gasolina a mais de 5,00. Cadê a auto-suficiência de petróleo? Tá servindo só pra explorar o mercado interno em favor dos investidores do mercado de capitais, que são parcela insignificante da população. #acordem

    • A verdade amigo e que tem muita gente que não pode nem ter.uma cg e quer andar de carro zero ! Somos uma oligarquia , do.imperio pra cá pouca coisa mudou ! Não existe distribuição de renda , o brasileiro compra carro de qualquer jeito , pod colocar um gol de 150 mil , vão pagar , senso crítico zero !