Novidades Serviço

Saiba como (e quando) fazer o diagnóstico eletrônico

Com tecnologia embarcada de sobra, veículos premium necessitam de atenção extra
Diagnóstico Eletrônico (divulgação)

Não são apenas carros populares que precisam fazer manutenções periódicas ou diagnósticos mais complexos: automóveis de marcas premium também necessitam de tanta atenção quanto.

E quando uma luz acende no painel do carro, o indicado é fazer um diagnóstico para verificar toda a parte eletrônica dele. Confira esse guia com dicas de profissionais da oficina AM Marcelo, especializada em modelos premium.

  • Qual é o prazo estipulado para se fazer um diagnóstico?

Segundo os especialistas da oficina,  o diagnóstico eletrônico deve ser feito como parte de uma revisão anual. Além da troca periódica de óleo – a cada 10 mil km – o diagnóstico eletrônico pode apontar outros problemas. Dentre eles: problemas como aquecimento anormal do motor, algum tipo de falha na pressão de combustível ou mesmo falhas elétricas.

Mercedes-AMG C 63 S (divulgação)
  • Como o diagnóstico é feito?

O diagnóstico eletrônico é feito conectando um cabo OBD ao veículo. Este cabo pode variar de acordo com a marca e modelo do veículo. Depois de conectado e ligado a um software específico, o diagnóstico é realizado e dados são levantados a respeito da “saúde” do veículo.

BMW M8 (divulgação)

Além disso, outros dados como a carga da bateria e a alimentação dos sensores, arrefecimento, rotação do motor em várias faixas, consumo médio, quilometragem atual, nível de pressão do combustível e teste dos sensores são verificados durante o diagnóstico.

  • Quais são os passos seguintes?

Após a averiguação do sistema do veículo pelo software, o técnico faz um teste prático no item defeituoso para verificar se realmente há a necessidade da troca do item. E aqui vai uma dica de ouro: fique sempre atento a quaisquer sinais que o veículo apresente que não sejam normais.

Além disso, faça sempre as revisões de acordo com as indicações da montadora no manual do proprietário. Utilize apenas peças originais e procure centros especializados – principalmente no caso de veículos premium.

Veja mais:

>> Limpadores de para-brisa: saiba fazer a manutenção correta

>> Audi lança versão “aventureira” do A1

>> BMW Série 3 “de entrada” parte de R$ 187.950

Sobre o autor

Kleber Silva

Kleber Silva

Comente

Clique aqui para comentar

Encontre peças e acessórios





Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva