Destaque Novidades

Sandero híbrido está nos planos da Renault para os próximos anos

Com foco no baixo custo, Dacia ainda não pode se voltar totalmente para a eletrificação, mas modelos híbridos como o Sandero podem surgir
Sandero 2021 [divulgação]
Sandero 2021 [divulgação]

Processo de eletrificação na Europa é um caminho sem volta. Diversos países proibirão carros a combustão pura em breve. Além disso, normas de emissões de poluentes estão cada vez mais rígidas e todos tem que se adaptar. Pensando nisso, a Dacia, controlada pela Renault, vai apostar em versões híbridas de Sandero, Logan e Duster.

Philippe Brunet, diretor de engenharia de veículos elétricos do grupo Renault, ressaltou como será o processo de eletrificação da Dacia: “Hoje as baterias representam 50% do custo de um carro elétrico. Um motor a combustão não passa de 20 a 25%”. Como a Dacia é focada em baixo custo, o valor proibitivo das baterias impede a eletrificação total da marca.

“Só temos que esperar pela próxima geração de baterias para permitir a mudança [da Dacia] para emissões zero”, ressalta o executivo. Para contornar os custos, a marca vai apostar em versões híbridas. Segundo Brunet, esse tipo de modelo tem “um excelente compromisso para redução de CO² e conter custos”.

Renault Taliant [divulgação]
Renault Taliant [divulgação]

Base pronta para o Sandero híbrido

Como a base modular CMF-B usada pela nova geração de Sandero e Logan já está pronta para receber baterias de um motor híbrido, o processo será relativamente rápido. Já o Duster terá de esperar por seu próximo ciclo de renovação para poder adotar a eletrificação.

A Dacia deve apostar em motores híbridos de baixo-custo, muito provavelmente compartilhados com Renault, Nissan e Mitsubishi para ganhar em escala. Não espere por sistemas plug-in caros, mas sim pelo híbrido tradicional a fim de manter o grande charme da Dacia, que é o atrativo do preço baixo de seus carros.

Renault Duster [Auto+]
Renault Duster [Auto+]
O Brasil, por outro lado, ainda não tem tanta exigência assim em modelos híbridos e elétricos. Por isso, as chances de que a próxima geração do Sandero e o Taliant (sucessor do Logan) recebam uma versão híbrida são bastante baixas. Já o Duster teria mais chances de receber esse tipo de eletrificação por aqui, mas é pouco provável que aconteça.

>>Vinda da Renault Alaskan ao Brasil é descartada por CEO da marca

>>Peugeot 208 vende mais que VW Polo e Renault Sandero em junho

>>Renault Captur turbo 2022 quase faz esquecer do passado | Impressões

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar