Destaque Novidades

Toyota Hilux 2021 ganha visual renovado e preços (bem) altos

Renovada, mais potente e com preço elevado, Toyota Hilux 2021 chega ao Brasil com muitas novidades
Toyota Hilux 2021 [divulgação]
Toyota Hilux 2021 [divulgação]

Líder do segmento de picapes médias no Brasil, Toyota Hilux 2021 chega ao Brasil renovada e com mudanças importantes nas versões. A má notícia é que se você quiser uma Hilux diesel com câmbio automático, agora será preciso desembolsar mais de R$ 200 mil.

O SUV grande Toyota SW4 acompanhou as mudanças aplicadas na Hilux, mas chega depois.

Toyota Hilux 2021 [divulgação]
Toyota Hilux 2021 [divulgação]

Mais potência no diesel

Seguindo a mudança aplicada globalmente, a nova Hilux 2021 produzida na Argentina e vendida no Brasil ganhou mais potência no motor diesel. O 2.7 quatro cilindros turbo terá agora 204 cv e 51 kgfm de torque. É uma boa melhora quando comparado aos 177 cv e 45,9 kgfm do modelo atual.

Assim, picape da Toyota finalmente se equiparará aos concorrentes que possuem mais de 200 cv – atualmente faixa de potência mínima requerida na categoria. A Toyota promete consumo de combustível 4% mais baixo, mesmo com o incremento de potência torque.

Toyota Hilux 2021 [divulgação]
Toyota Hilux 2021 [divulgação]
O motor flex permanece como antes e somente em duas versões na Hilux. É um 2.7 quatro cilindros turbo flex de 163 cv e 25,5 kgfm de torque. Esse motor é oferecido somente nas versões SR e SRV. Já com diesel as opções são STD Power Pack, SR, SRV e SRX.

A Toyota Hilux conta com transmissão automática de seis marchas ou manual com o mesmo número de relações. A disponibilidade de cada transmissão varia de acordo com as versões, mas as Hilux acima de R$ 200 mil são sempre equipadas com câmbio automático.

Toyota Hilux 2021 [divulgação]
Toyota Hilux 2021 [divulgação]
A suspensão foi totalmente modificada privilegiando o uso urbano e diminuindo o típico sacolejar das picapes médias. A versão SRX recebeu mais atenção no quesito conforto, segundo a marca, com aumento do diâmetro do pistão do amortecedor. A Toyota também modificou o conversor de torque da transmissão automática, melhorando as acelerações e a velocidade das trocas de marcha.

Tipo Corolla

Antes exclusividade da Ford Ranger no segmento de picapes médias, a Toyota Hilux 2021 traz piloto automático adaptativo. Esse item faz parte do Toyota Safety Sense, que estará disponível na versão topo de linha SRX.

Toyota Hilux 2021 [divulgação]
Toyota Hilux 2021 [divulgação]
O Toyota Safety Sense ainda engloba sistema de pré-colisão frontal com frenagem autônoma de emergência e alerta de mudança de faixa. As versões mais baratas também receberão novos sensores de estacionamento, com quatro pontos na traseira e dois na dianteira.

A central multimídia do Corolla com Android Auto e Apple CarPlay chegou à nova Hilux e ao novo SW4. Ela será item de série em todas as versões e traz tela de 8 polegadas. Ainda há som assinado pela JBL na versão mais cara do SUV e da picape.

Toyota Hilux 2021 [divulgação]
Toyota Hilux 2021 [divulgação]

Segundo tapa visual na Hilux

Enquanto a Hilux já mudou de estilo duas vezes, o SW4 aguardou até agora para trazer mudanças. Mas o lançamento do modelo ficará para depois.

Já a Hilux ganhou para-choque mais robusto com grade frontal maior, faróis full-LED e lanternas traseiras de LED nas versões mais caras. Por dentro ambos trazem painel de instrumentos novo e manopla de câmbio levemente modificada.

Toyota Hilux 2021 [divulgação]
Toyota Hilux 2021 [divulgação]

Preços e versões

A Toyota Hilux traz sete airbags em todas as versões cabine dupla no Brasil. A mais barata é a SR 4X2 automática que parte de R$ 145.390.  De série, ela traz ar-condicionado manual, direção hidráulica com regulagem de altura e profundidade, sete airbags, bloqueio do diferencial traseiro, retrovisores com ajuste elétrico, central multimídia de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de reboque, de subida, acendimento automático dos faróis.

Na versão intermediária SRV, a Hilux flex agora custa R$ 157.490 com tração 4×2 ou R$ 169.790 com tração 4×4. Ela traz a mais ar-condicionado digital com saída de ar central para os bancos traseiros, banco do motorista com ajuste elétrico de distância, inclinação e altura, computador de bordo com tela de 4,2″ de TFT, modo de condução Eco e Power, piloto automático, câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e chave presencial

Chegando nas versões diesel, a Hilux STD Power Pack 4×4 é a única com motor diesel e câmbio manual, parte de R$ 188.990. A versão de entrada da Hilux diesel mira a Ford Ranger Storm que tem preço e potência semelhante, mas é automática. De série, ela traz ar-condicionado manual, direção hidráulica com regulagem de altura e profundidade, sete airbags, bloqueio do diferencial traseiro, retrovisores com ajuste elétrico, central multimídia de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de reboque, de subida, acendimento automático dos faróis.

Agora, todas as versões diesel automáticas da Hilux custam mais de R$ 200 mil. A versão de entrada SR 4×4 agora custa R$ 201.790 e segue a mesma lista de equipamentos da versão SR flex. A Hilux SRV 2021 parte de R$ 216.990 e repete a lista de equipamentos da mesma variante com motor flex.

Por fim, a versão topo de linha SRX custa R$ 241.990 na linha 2021. Esse era exatamente o mesmo valor que a Toyota pedia pela Hilux GR-S com pegada esportiva e visual diferenciado. Ela é equipada com sistema multimídia com alto-falantes JBL e subwoofer, GPS e TV Digital, assistente de pré-colisão com alerta sonoro e visual, frenagem autônoma de emergência, alerta de mudança de faixa, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, partida sem chave, espelho retrovisor interno eletrocrômico e luz de condução diurna de LED.

Para quem prefere as versões de trabalho da Hilux, a Toyota oferece a Cabine Simples por R$ 170.890 e a Chassi-Cabine por R$ 164.790. O revés é que elas não receberam mudanças visuais aplicadas no restante da família.

>>BMW quer se aproximar da Toyota e cortar cupês e conversíveis

>>Avaliação: Chevrolet S10 High Country: não contavam com minha astúcia

>>Por pouco Toyota Corolla não vende mais que todos os sedãs médios

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar