Avaliação Destaque

Toyota Yaris 2023: melhor hatch que você compraria em 2012 | Avaliação

Tempo passou e o Toyota Yaris, apesar de ser um projeto relativamente novo, parece ter ficado para trás frente aos concorrentes
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]

2012 foi o ano em que a Apple lançou o iPhone 5 coincidindo com as estreias dos hatches compactos Hyundai HB20 e Chevrolet Onix. Foi também quando uma teoria dizia que o mundo iria acabar e até um filme foi produzido. Nem parece, mas 2012 foi há dez anos atrás. E é daquela época que o Toyota Yaris 2023 parece pertencer.

Recentemente reestilizado, o hatch compacto de acesso da Toyota ganhou tecnologias que nem o Corolla pensava em ter em 2012. Mais refinado que antes, ele evoluiu mais do que a tímida reestilização pôde revelar. Mas será que isso é suficiente para torna-lo um astro do segmento? A resposta virá com a versão XS de R$ 102.090, a mais vendida da gama, na carroceria hatch, que que representa 60% das vendas família.

Global e local

A atual geração do Toyota Yaris é de 2013, sendo original de um projeto para China e Tailândia. Ele é diferente do modelo internacional, mais simples de ser feito, mas também maior e mais espaçoso. O visual do modelo brasileiro surgiu em 2017 quando a variante tailandesa foi reestilizada. Os chineses, por sua vez, multiplicaram o modelo em dois.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
No Brasil ele só chegou em 2018, se parar para analisar, é um projeto moderno. Mas ele parece mais apto a brigar com a primeira geração de Onix e HB20 do que com os modelos atuais. Isso fica extremamente claro no interior. O Yaris tem visual datado com linhas verticais e console em Y, como era moda antigamente.

O acabamento é correto, com peças bem encaixadas e bem montadas, mas nada de extraordinário. Não chega a ser referência positiva como o Fiat Argo, mas está longe do lado negativo do segmento representado pelo Volkswagen Polo. O problema está na ergonomia.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Afundado no painel, o volante não tem regulagem de profundidade, somente em altura. O que obriga o motorista a dirigir com as pernas muito dobradas e próximo demais do painel. Some isso ao fato de que os bancos são mais curtos do que deveriam e o Yaris se torna cansativo em longas distâncias.

O volante tem couro rugoso e de qualidade ruim, fazendo par com a central multimídia. Ela tem tela de definição apenas ok, grafismos vindos diretamente de 2012, além de ser lenta e travar com constância. Posicionada no alto, ela parece ter sido adaptada em um lugar em que um rádio faria mais sentido.

Ao menos o painel de instrumentos é completo com sua pequena tela colorida de boa definição. O computador de bordo traz diversos recursos interessantes, incluindo um que faz o cálculo de quantos reais você economizou, baseado no preço do seu último abastecimento, caso dirija de maneira econômica.

Além da média

Se tivesse sido lançado em 2012, o Toyota Yaris seria grande referência em espaço interno. Equiparado ao Renault Sandero e ao Fiat Argo, ele tem cabine ampla e arejada, graças a linha de cintura baixa. Quatro passageiros viajam com conforto, mesmo quando o a fileira de trás está ocupada por pessoas altas.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
O porta-malas também é grande, servindo 310 litros de capacidade, acima da média no segmento. Outro ponto em que a Toyota foi bastante generosa é na lista de itens de segurança. De série em todas as versões, o Yaris tem seis airbags, LED diurno, assistente de partida em rampa, controle de tração e de estabilidade.

A versão XS justifica seu preço acima dos R$ 100 mil ao adicionar frenagem autônoma de emergência, alerta de mudança de faixa, alerta de colisão frontal, faróis com projetores, ar-condicionado digital de uma zona, retrovisores elétricos, câmera de ré, piloto automático, chave presencial e vidros elétricos nas quatro portas.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Os bancos são revestidos parcialmente em couro e tecido, evidenciando tratar-se de uma versão intermediária. Mas o Yaris XS tem apenas câmera de ré, dispensando os tão necessários sensores de estacionamento, especialmente porque sua traseira tem fortes pontos cegos e a câmera não tem a melhor das definições, especialmente a noite.

Base boa

Usando a mesma plataforma do Etios, o Yaris se beneficiou de anos de pequenos ajustes e aperfeiçoamentos que a Toyota fez no compacto a fim de torna-lo bom de dirigir. O Yaris honra esse legado com uma condução boa. A suspensão é mais voltada para a firmeza, mas com funcionamento silencioso e bem azeitado.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Mesmo passando em buracos, o Toyota não reclamada e absorve os impactos sem castigar os passageiros. A direção com assistência elétrica é inexplicavelmente muito pesada na hora das manobras, mas durante a condução tem o peso adequado e respostas ágeis. O mesmo não pode ser dito sobre o câmbio CVT.

Ele não patina nas saídas como é comum nesse tipo de transmissão, e tem respostas rápidas ao tocar o acelerador. Mas insiste em manter a rotação do motor alta e constante, criando o efeito enceradeira. Ele tem aletas atrás do volante para simular marchas, mas mesmo em uma arrancada, simula no máximo duas trocas.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
O motor 1.5 quatro cilindros aspirado tem 110 cv e 14,9 kgfm de torque, mas a letargia da transmissão CVT faz parecer menos. O Yaris é ágil, desenvolvendo rápido e anda verdadeiramente bem – ainda que a rotação segurada lá em cima por seu câmbio não deixe isso transparecer. Quem se acostumou aos motores 1.0 turbo não sentirá tanta falta de fôlego aqui.

A vantagem desse câmbio está no consumo. A Toyota declara 12,6 km/l na cidade com gasolina e 13,8 km/l na estrada. Com etanol, são 8,8 km/l na cidade e 10 km/l na estrada. Em nossos testes ele fez 8 km/l em circuito misto. Nitidamente um carro voltado mais voltado ao consumo baixo e conforto do que a uma tocada mais prazerosa.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]

Veredicto

Dominado por Hyundai HB20, Chevrolet Onix e Fiat Argo, o segmento de hatches de entrada é bastante acirrado. É preciso ter muitos atributos para convencer o cliente a levar um modelo para casa, especialmente quando o cheque passa dos R$ 100 mil. O Yaris tem ao seu favor a inegável confiabilidade Toyota, o espaço interno farto e o baixo consumo de combustível.

Mas é inegável o gosto que o Yaris deixa na boca de um produto mais envelhecido e pouco preparado para os tempos atuais. É a mesma sensação de comprar hoje um iPhone 5, um PlayStation 3 ou assistir à MTV na tv aberta: eram ótimos produtos para a época em que estavam. Pena, para eles, que estamos em 2022.

Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]
Toyota Yaris XS [Auto+ / João Brigato]

>>Honda City realmente substitui o Civic para muita gente | Avaliação

>>BYD confirma rivais híbridos de Toyota Corolla e RAV4 no Brasil

>>Toyota Corolla hatch será vendido no Brasil pela primeira vez na história

Sobre o autor

João Brigato

2 Comentários

Clique aqui para comentar