Destaque

Verstappen dá aula em Silverstone e vence GP dos 70 anos

Piloto da Red Bull brilhou ao optar por pneus mais duros e peitar a equipe na estratégia
Verstappen
GP dos 70 anos [divulgação]

Ainda era o início da corrida quando o engenheiro de Max Verstappen abriu a comunicação por rádio para pedir que o piloto da Red Bull Racing reduzisse o ritmo, para preservar os pneus. Naquele momento, Max era o terceiro colocado e se aproximava de Lewis Hamilton, o segundo. Valtteri Bottas liderava depois de largar na pole.

A resposta de Max Verstappen foi um show de personalidade e de lutar pelo que realmente importa em uma corrida. “Cara, é nossa única chance de disputar com a Mercedes. Eu não vou ficar aqui pilotando como uma vovozinha”. Ali, a corrida começou a mudar de mãos. Verstappen era o único com pneus duros, os mais resistentes do fim de semana.

Mas a opção pela durabilidade não o impediu de imprimir um ritmo forte, que permitiu parar depois de todo mundo (na 26ª volta, enquanto Bottas parou na 13ª e Hamilton na 14ª volta) e ainda voltar à frente dos adversários. Quer dizer, na prática, voltou atrás de Bottas, mas só precisou de algumas curvas para retomar a liderança.

Depois da corrida, Bottas disse nem saber que Verstappen estava tão bem posicionado para a corrida, até ser ultrapassado por ele. Já Hamilton chegou a levantar suspeitas via rádio sobre a pressão de pneus de Max, se a equipe estava realmente respeitando a calibragem sugerida pela Pirelli para evitar explosões como no domingo anterior.

Tudo isso, no entanto, era só um sinal de como a Mercedes estava perdida com a brilhante estratégia da Red Bull – e pilotagem irretocável de Verstappen. Na briga interna dos carros pretos, que foi o que restou, Hamilton ainda ultrapassou Bottas e garantiu o segundo lugar, mostrando que realmente vai ser difícil o companheiro de equipe ameaçar seu título.

Verstappen
GP dos 70 [divulgação]

Os resultados deixaram Bottas inclusive atrás de Verstappen na tabela de classificação. Hamilton segue líder com 107 pontos; Verstappen tem 77; e Bottas, 73. Um dos destaques da corrida foi Charles Leclerc, da Ferrari, que novamente teve um desempenho acima do que o carro vem permitindo, chegando em quarto.

Já o companheiro de equipe dele, Sebastian Vettel, que vive péssima fase, rodou na largada e jogou a corrida fora. Ao longo da prova, ainda discutiu com o time via rádio, em uma demonstração de que o clima está quase insustentável (o alemão foi demitido antes do início do campeonato e vive seu último ano na Ferrari).

Substituto de Sergio Pérez (se recuperando de COVID-19) na Racing Point, Nico Hülkenberg teve um excelente fim de semana, largando na terceira posição e recebendo a bandeirada em sétimo. A Racing Point começou o fim de semana perdendo 15 pontos e sendo multada em US$ 400 mil em função de um protesto da Renault em torno da legalidade de seus dutos de freio.

Confira uma análise da corrida neste vídeo do jornalista Tiago Mendonça no canal Pr1meiro Stint:

 

Veja mais:

>> Peugeot planeja voltar aos EUA em 2023

>> Avaliação: Mini Clubman JCW não é o tipo tradicional de perua, ainda bem

>>  Sonet é o SUV da Kia do tamanho de um Hyundai HB20

Sobre o autor

Tiago Mendonça

Tiago Mendonça

Comente

Clique aqui para comentar