Destaque Novidades

Volkswagen lança Virtus com preço a partir de R$ 59.990

Sedã do Polo tem versões com motor 1.6 MSI e 1.0 TSI
Volkswagen Virtus (divulgação)

Dois meses passados da sua estreia mundial, o Volkswagen Virtus é lançado oficialmente pela Volkswagen. O sedã do Polo chega às concessionárias em fevereiro com preço a partir de R$ 59.990, em três versões (1.6, Comfortline 200 TSI e Highline 200 TSI), duas opções de motores (1.6 MSI e 1.0 TSI) e de câmbio (manual ou automático de seis marchas). O seu principal rival, Fiat Cronos, será revelado em breve.

Assim como o Polo, o Virtus é construído com base na plataforma MQB, porém, ele foi “esticado” em relação ao hatch. Para se ter uma ideia, a distância entre-eixos do sedã é a mesma do atual Jetta: 2,65 m, ou 8,6 cm a mais do que o Polo. Como consequência, o comprimento também cresceu e o Virtus tem 4,48 metros, 42,5 cm a mais do que o hatch. Além do espaço interno — bem generoso para os ocupantes do banco traseiro, o modelo também se destaca pela capacidade do porta-malas, que acomoda 521 litros.

Volkswagen Virtus (divulgação)

O visual é harmonioso, com dianteira idêntica ao do Polo, com as mudanças aparecendo apenas a partir das portas traseiras. Chama a atenção o estilo de cupê (que deverá sacrificar um pouco do espaço para a cabeça), com lanternas que invadem as laterais. O estilo tem um quê de Audi A3 Sedan. E, pelo jeito, a sétima geração do Jetta apresentada no Salão de Detroit se inspirou bastante no Virtus.

Volkswagen Virtus (divulgação)

Debaixo do capô, o Virtus não terá como opção o motor 1.0 MSI aspirado oferecido no Polo, trazendo na versão de entrada o motor 1.6 MSI de até 117 cv e 16,5 kgfm de torque, com opção de câmbio manual de cinco marchas. Já na Comfortline e Highline ele conta com o 1.0 TSI de 128 cv e 20,4 kgfm de torque, sempre com transmissão automática de seis marchas. Nessa configuração, o sedã é capaz de ir de 0 a 100 km/h em 9,9 segundos e alcançar a máxima de 194 km/h.

Por dentro, o estilo segue o já encontrado no Polo. Há cabine de linhas horizontais e painel de instrumentos digital Active Info Display de 10,2 polegadas aliada à central multimídia Discover Media com tela de 8 polegadas. Bacana é o “manual cognitivo” instalado no multimídia: um sistema de inteligência artificial que ajuda o motorista a responder perguntas sobre o veículo, incluindo informações do manual do carro. A consulta poderá ser pelo App Volkswagen através da escrita, comandos de voz e até foto, sendo que o sistema aprende cada vez mais à medida que se usa ele — reconhecendo também sotaques.

Ainda na cabine, o pecado fica em oferecer retrovisor com ajuste manual na versão de entrada 1.6, que já custa R$ 59.990. O mesmo erro cometido no Polo — que poderia ter sido corrigido no Virtus.

Volkswagen Virtus (divulgação)

Itens oferecidos no hatch também estarão disponíveis para ele, como controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, bloqueio eletrônico de diferencial, monitor de pressão dos pneus, sistema de secagem automática dos discos de freio e três entradas USB.

 

Segurança 5 Estrelas

O Virtus também aposta alto na segurança, pois inclui quatro airbags e sistema Isofix de fixação de cadeirinhas infantis em todas as versões. Ele pode trazer, dependendo da versão, detector de fadiga, sistema de frenagem automática pós-colisão e controles de estabilidade e de tração. Assim como o Polo, que conquistou cinco estrelas no teste de segurança do Latin NCap, o Virtus também recebeu a pontuação máxima pelo órgão. Abaixo, confira o vídeo do sedã no teste de colisão:

 

Versões e equipamentos:

Virtus 1.6 MSI MT (R$ 59.990): interior em cinza claro, banco com regulagem de altura, direção elétrica, sistema de som com rádio e MP3, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas, faróis dupla parabóla e para-sóis iluminados. Há dois pacotes opcionais: pacote Connect (R$ 2.950) inclui rodas de 15 polegadas, computador de bordo, central multimídia CompositionTouch, volante multifuncional, controle de estabilidade e sensores de estacionamento. O pacote Safety (R$ 1.050) traz apenas controle de estabilidade.

Virtus Comfortline 200 TSI (R$ 73.470): itens do 1.6 MSI, mais volante com ajuste de altura e distância, retrovisores elétricos, descansa braço central, controle de estabilidade, central multimídia Composition Touch com tela de 6,5”, volante multifuncional com comandos de voz e faróis de neblina. Há ainda rodas de liga leve de 15 polegadas, sensor de estacionamento e lanternas escurecidas.

Essa versão dispõe de dois pacotes opcionais. O pacote Tech I (R$ 2.200) traz chave para acesso e partida, controlador de velocidade, sensor de estacionamento dianteiro, retrovisor fotocrômico, volante multifuncional com “shift paddles”, farol com ajuste automático de intensidade, limpador de para-brisa automático e rodas de liga leve de 16”. Chamado de Tech II (R$ 3.500), o segundo pacote inclui ar-condicionado automático, câmera de ré, detector de fadiga, frenagem automática pós colisão, indicador de pressão dos pneus, porta-luvas refrigerado e volante de couro.

Virtus Highline 200 TSI (R$ 79.990): equipamentos da Comfortline, e soma porta-luvas refrigerado, ar-condicionado digital, volante revestido de couro, partida do motor por botão, controlador de velocidade e sensores de estacionamento dianteiros e traseiros. Soma-se a lista os faróis de neblina com função “cornering light” (luz de conversão estática), luz diurna de led, descansa braço dianteiro com porta-objetos e duas entradas USB.

Entre os opcionais, o Virtus topo de linha pode ter o pacote Tech high (R$ 3.300), que traz itens como indicador de pressão dos pneus, sensor de estacionamento dianteiro, retrovisor interno fotocrômico, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, detector de fadiga, câmera de ré, sistema de frenagem automática pós-colisão e central multimídia “Discover Media”. O painel de instrumentos digital configurável Active Info Display é um show à parte. Pode-se optar ainda separadamente por rodas de liga leve de 17 polegadas (R$ 1.200), bancos em couro sintético (R$ 800) e banco do passageiro rebatível (R$ 300).

As pinturas metálicas (azul Night, cinza Platinum, prata Sirius e prata Tungstênio) saem por R$ 1.450, enquanto as sólidas (branco e vermelho) saem por R$ 450.

Veja mais:

>> Maior e menos “careta”, novo Jetta é revelado em Detroit

>> Fiat mostra imagens da cabine do novo sedã Cronos

>> Mercado: Onix é o carro mais vendido do Brasil pelo 3º ano seguido

Sobre o autor

Diego Dias

Comente

Clique aqui para comentar