Destaque Novidades

Volkswagen recicla JAC T6 e o lança com nome de BMW

JAC e Volkswagen criaram juntas a SOL / Sehol, que agora recicla um antigo modelo da marca chinesa e o lança com nome de BMW
SOL / Sehol X5 [Ministério de Patentes China]
SOL / Sehol X5 [Ministério de Patentes China]

Aos poucos a JAC e a Volkswagen vão desenhando melhor o futuro da SOL (ou Sehol na China). A marca foi criada há alguns anos pelas parceiras para pavimentar o caminho para a Seat na China. Os planos não deram certos e a marca deveria se tornar uma fabricante de carros 100% elétricos, dos quais dois deles são vendidos no Brasil.

Hoje a JAC brasileira vende o E-JS1 e o E-JS4, que são dois modelos da SOL que já passaram pelo processo de melhoria da Volkswagen. Ambos são baseados em modelos da JAC vale lembrar. Contudo, a Volkswagen (que é dona de 51% da JAC) resolveu ressuscitar um antigo carro da marca chinesa para trazer à SOL.

Batizado de SOL / Sehol X5, o novo modelo nada mais é que o antigo JAC T6 vendido no Brasil entre 2015 e 2016. Por aqui ele foi vendido com motor 2.0 quatro cilindros flex aspirado de 160 cv e 20,6 kgfm de torque, aliado a um câmbio manual de seis marchas. Na nova fase como modelo da SOL ele terá motor turbo e é um dos raros casos de carros não elétricos da marca.

SOL / Sehol X5 [Ministério de Patentes China]
SOL / Sehol X5 [Ministério de Patentes China]
Ele usa um 1.5 quatro cilindros turbo de 150 cv e 21,4 kgfm de torque – o mesmo motor usado pelo JAC T60 aqui no Brasil. A transmissão é manual de seis marchas ou automática do tipo CVT. Segundo a marca, ele tem velocidade máxima limtada a 170 km/h. Já o consumo é de 13,2 km/l em média.

Um pouco de Hyundai

Visualmente, entretanto, ele foge completamente do visual de qualquer JAC, Volkswagen ou até SOL. A dianteira é inspirada na marca chinesa NIO. Isso fica claro por conta da grade frontal trapezioidal que domina toda a frente do SUV, assim como os faróis de LED finos. Nesse caso, o novo modelo tem conjunto óptico dividido em duas partes, porém elas são conectadas.

O estranhamento é na lateral, visto que o JAC T6 era inspirado no Hyundai ix35. O perfil do começo dos anos 2010 não combina em nada com as novas linhas ousadas dessa década. Na traseira, lanternas conectadas e finas dão um estilo bastante agressivo. Já as luzes auxiliares no para-choque remetem ao modelo original vendido no Brasil.

>>Volkswagen Amarok V6 é estradeira com rugas evidentes | Avaliação

>>Elétrico mais barato do Brasil: JAC E-JS1 tem sabor de VW | Impressões

>>JAC E-JS4 tem potencial de cartada de mestre | Impressões

Sobre o autor

João Brigato

8 Comentários

Clique aqui para comentar