Curiosidades Destaque

5 carros que o brasileiro não quer de volta

Com diversos carros clássicos sendo recriados, certamente nenhum brasileiro gostaria de ver algum desses modelos de volta ao mundo
Fiat Marea [divulgação]
Fiat Marea [divulgação]
Compartilhar

O mundo dos carros é cíclico. Vira e mexe, alguns modelos de sucesso do passado são trazidos de volta em reedições modernas. Isso já aconteceu com o VW Fusca, por exemplo, depois com o Fiat 500 e mais recentemente com o Renault 5. No entanto, os carros a seguir são verdadeiros pesadelos para os brasileiros, e certamente ninguém iria querer uma versão moderna desses modelos.

Fiat Marea

Talvez o Marea seja um dos carros mais injustiçados de todos os tempos. Afinal, sua fama foi arruinada pela falta de manutenção de seus proprietários, somado a uma decisão da montadora de estender por um intervalo longo demais as suas revisões. Além disso, era um tempo mais rudimentar e que nem todo mundo costumava ir às concessionárias para fazer as revisões. O resultado foi tenebroso, com o modelo quebrando e a fama indo por água abaixo.

Fiat Marea [divulgação]
Fiat Marea [divulgação]

Chevrolet Agile

carros
Chevrolet Agile [divulgação]
O Agile salvou a GM do Brasil, mas seu visual polêmico e alguns problemas de confiabilidade comprometeram a vida do hatch. Como a GM não podia gastar muito para desenvolver um carro novo, o jeito foi aproveitar ao máximo as peças que tinham na prateleira. Por isso, sua plataforma era do Corsa B, enquanto o Corsa C era vendido por aqui. Não deu muito certo, e o hatch saiu de linha em 2014, principalmente por conta do sucesso do Onix.

VW Polo Classic

carros
VW Polo Classic [divulgação]
Quando a Volkswagen decidiu lançar o Gol bolinha, em 1994, houve um longo debate se haveria uma segunda geração para o Voyage. Protótipos até foram feitos, mas a marca optou por matar o sedã do Gol e apostar no Polo Classic, o três volumes da terceira geração do hatch. Feito na Argentina, o modelo nunca caiu nas graças do público, e também sofreu com alguns problemas de confiabilidade.

Ford Pampa e Belina 4×4

A Ford Pampa e a Belina fizeram sucesso no Brasil e certamente teriam o apoio do público para uma nova geração. No entanto, caso a marca decidisse ressuscitar uma hipotética versão 4×4 para elas, certamente os brasileiros rejeitaram. Isso porque, muito antes do câmbio Powershift, o sistema de tração utilizado pelos modelos deu tanto problema que logo foi abandonado.

VW Zé do Caixão 

VW 1600 (Zé do Caixão)[divulgação]
VW 1600 (Zé do Caixão)[divulgação]
Nos anos 1970, o projeto do Fusca já tinha quase 40 anos. E, mesmo sendo o carro mais vendido do Brasil e sendo um sedã no papel, na realidade era preciso lançar um modelo com proposta mais familiar para agradar ao público. A Volkswagen decidiu lançar o VW 1600, que ficou conhecido como Zé do Caixão, e foi um fiasco em vendas. Hoje ele é um dos carros a ar da marca mais raros, mas dificilmente uma versão moderna faria o mesmo sucesso que as releituras do Fusca.

Você teria uma versão moderna de algum desses carros? Deixe nos comentários a sua opinião.

>> Jeep Commander 2024 perde equipamentos e fica mais caro

>> Luxo e esportividade: conheça as 5 motos mais caras do Brasil

>> 5 em cada 10 Toyota Hilux vendidas são da versão de R$ 324.490

 

Sobre o autor

Leo Alves

4 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Matéria muito boa, porém em parte discordo sobre o Marea, uma vez que o modelo se encontra cada vez mais valorizado devido a facilidade de mão-de-obra atual, uma vez que hoje em dia a mecânica do Marea é semelhante a de muitos carros atuais, e o mesmo que há dois anos valia 12.000 atualmente se encontra na faixa de 20.000 ou mais.

    Desculpa o textão, mas sua matéria é muito boa

Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva

Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso serviço você aceita tal monitoramento. Para mais informações leia nossa
Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso serviço você aceita tal monitoramento. Para mais informações leia nossa