Avaliação Novidades

Confira como anda o Renault Duster 2021

Utilitário tem apenas motorização 1.6 SCe de até 120 cv; sistema start-stop é novidade
Renault Duster (Auto+)

O test-drive de lançamento do Renault Duster foi curto, mas suficiente para ver como o modelo topo de linha Iconic, que parte de R$ 87.490, se comporta com a combinação entre o motor 1.6 SCe e o câmbio CVT. Cabe salientar que a novidade aqui é a inclusão do sistema Start-Stop para gerar mais economia de combustível. Essa configuração tirou nota B na avaliação do Inmetro.

Embora o desempenho do propulsor de 120 cv de potência máxima e com duplo comando variável não empolgue, o Duster faz jus à proposta de veículo robusto. A suspensão é bem firme e o modelo, apesar de não ter tração 4×4, enfrenta trechos nivel “hard” com certa facilidade.

Renault Duster (Auto+)

Durante o teste, passamos por caixa de ovos, declives e inclinação lateral, por exemplo. Todas as situações com segurança e sem perder a leveza de direção, que agora é elétrica e não mais eletro-hidráulica.

A boa posição ao dirigir também agrada no Duster, mérito de ajustes tanto do banco, feito por alavancas, quanto do volante. Os assentos têm novo design e grandes abas laterais, acomodando melhor os ocupantes dianteiros.

Renault Duster Iconic 2021 (divulgação)

Uma das maiores surpresas é a Renault ter conseguido manter o motor em silêncio sob o capô. A 100 km/h – velocidade máxima que conseguimos atingir na região de Foz do Iguaçu – o ponteiro do conta-giros sequer belisca os 2.500 rpm.

Renault Duster (Auto+)

Mas, em arrancadas, o Duster peca bastante. Motor e câmbio não se conversam e fica difícil atingir altas rotações. A esperteza fica de lado e um forte ruído invade a cabine, comprometendo o bom isolamento acústico. Quem sabe isso melhore com a possível chegada do motor 1.3 turbo. Este não foi confirmado pelos executivos da Renault, mas também não foi descartado.

Por falar em falta, a linha 2021 do Duster não oferece opção de motor 2.0, afinal, a estratégia da marca é deixar o propulsor mais potente com o irmão Captur. Faz sentido, assim ninguém briga ‘dentro de casa’.

Veja mais:

>> Novo Renault Duster estreia no Brasil com visual repaginado

>> Andamos no Suzuki Jimny, um 4×4 raiz

>> Avaliação: Volkswagen T-Cross manual, um SUV para entusiastas

Sobre o autor

Vagner Aquino

Vagner Aquino

Um comentário

Clique aqui para comentar

Encontre peças e acessórios





Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva