Destaque Novidades

Mercedes-Benz não quer carros híbridos no Brasil

Decisão da matriz é que a divisão brasileira da Mercedes-Benz venda modelos a combustão e elétricos, mas carros híbridos não
carros híbridos
Mercedes-Benz Classe A híbrido [divulgação]
Compartilhar

Desde que Mercedes-Benz, Audi e BMW iniciaram sua estratégia de eletrificação no Brasil, as três marcas passaram a oferecer carros 100% elétricos ao lado de modelos a combustão. Contudo, das três, só a da estrela de três pontas não tem carros híbridos. E a culpa disso é uma parte do Brasil, outra da matriz. 

Durante a apresentação da nova geração do Mercedes-Benz Classe E, Evandro Bastos, Head de Produto Automóveis, e Carlos Garcia, Presidente e CEO da marca alemã, explicaram que a situação tem vários lados. Começa pelo fato de que a conta simplesmente não fecha para investir em modelos híbridos. 

Como a gasolina brasileira usa uma parte alta de etanol em sua composição, é preciso calibrar todo o sistema do carro para que funcione de acordo com as nossas especificações. E fazer isso com carros híbridos é mais complicado, especialmente porque, mesmo eletrificados, eles podem não passar nos testes de emissões com ajustes simples.

Mercedes-Benz Classe E Estate híbrida [divulgação]
Mercedes-Benz Classe E Estate híbrida [divulgação]
É por conta dessa razão, por exemplo, que o Volvo XC40 não tem mais versões híbridas no Brasil – pois o motor a combustão não passaria nas emissões de poluentes de acordo com as regras brasileiras. Há também o agravante de volume de vendas desses modelos híbridos e da falta de conjuntos compartilhados entre modelos Mercedes que justificaria.

Interessados? Sim, mas a conta não fecha

Com isso, os executivos da marca afirmaram que a conta simplesmente não fecha. Há interesse local em Mercedes híbridos? Sim, mas a matriz não encontrou uma maneira viável de tornar isso possível, preferindo apostar nos dos opostos do mercado. Para a marca, a transição do consumidor não precisa ser feita de maneira gradual.

Mercedes-Benz AMG GT 63 S e Performance [divulgação]
Mercedes-Benz AMG GT 63 S e Performance [divulgação]
Hoje, 98% dos modelos que a Mercedes-Benz vende no Brasil são eletrificados de alguma maneira. Ou são totalmente elétricos ou semi-híbridos (MHEV). Isso significa que os modelos a combustão, em quase sua totalidade, trocaram o alternador e o motor de partida por um pequeno motor elétrico que reduz consumo, emissões e esforço do motor a combustão.

Hoje, os modelos EQ totalmente elétricos representam, segundo a Mercedes-Benz, cerca de 10 a 15% das vendas da marca no país. Hoje, o portfólio é constituído por EQA, EQB, EQE, EQE SUV, EQS e EQS SUV. Lá fora, a linha de carros híbridos tem desde o Classe A até o AMG GT com opção eletrificada. Aliás, os novos Classe C e Classe E, em versão AMG, são híbridos.

Mercedes-Benz C63 AMG S e Performance [divulgação]
Você acha que a Mercedes está em desvantagem em não oferecer carros híbridos no Brasil? Conte nos comentários. 

>>Mercedes-Benz Classe E chega em versão única por R$ 639.900

>>Governo financiará carros híbridos da Volkswagen

>>Mercedes-Benz C300 se dá ao luxo do conforto | Avaliação

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar

Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva

Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso serviço você aceita tal monitoramento. Para mais informações leia nossa
Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso serviço você aceita tal monitoramento. Para mais informações leia nossa