Avaliação Destaque

Onix Plus Midnight: sem erro como uma camiseta preta – Avaliação

Existem poucas roupas que sejam unanimidade, assim como poucos carros são tão certeiros quanto o Chevrolet Onix Plus. Mas e a versão Midnight?
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]

Ser líder em uma categoria não é um mero acaso. O carro precisa ser verdadeiramente bom, ter receptividade do mercado, preço condizente e algum tipo de atrativo. E o fato de a Chevrolet ter o sedã mais vendido do Brasil deixa tudo mais evidente, tanto que o Onix Plus Midnight se vestiu todo de preto somente para honrar isso.

Vestido com um pretinho básico na versão Midnight de R$ 85.190, o Chevrolet Onix Plus prova que é como uma camiseta preta? Aquela escolha sem dúvida e certeira para praticamente todo mundo?

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]

Pelo Prisma do Cobalt

Quando a Chevrolet lançou o Onix Plus em 2019, afirmava categoricamente que o Cobalt não seria substituído por ele. Mas era óbvio que isso aconteceria. Ele conseguiu reunir o que havia de melhor no Prisma e no Cobalt em uma embalagem mais atrativa e com preço mais barato.

Dito e feito, o Cobalt morreu e o Onix sedã assumiu seu posto. Talvez a única característica boa que o Onix Plus não herdou deles foi o porta-malas. Apesar de bons 469 litros, muito bem aproveitados, diga-se de passagem, ele perde para o antecessor (sobrevive como Joy Plus) que tinha 500 litros, enquanto o rei dos motoristas de Uber e taxistas levava 563 litros.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Uma das grandes qualidades que o irmão Cobalt tinha era o farto espaço interno, repetido por aqui. Quem se senta atrás consegue até dobrar as pernas, mesmo que passageiros altos estejam lá na frente. O espaço para cabeça também é bom.

Quem se acomoda na dianteira tem disponibilidade de diversos recursos de ajuste do banco e volante, que tem altura e profundidade reguláveis. O único porém vai para o assento que é curto e incômodo para motoristas mais altos, pois falta suporte para as pernas.

O encosto de cabeça fixo é interessante do ponto de vista visual, apesar de ser nitidamente um recurso aplicado para economizar custos. Seus reveses são a falta de altura para suportar corretamente a cabeça de quem tem mais de 1,80 m de altura e também o fato de bloquear boa parte da visão de quem se senta atrás.

Ganho em escala

Uma das implicações em o Onix Plus ter se tornado um carro global, algo que Cobalt e Prisma nunca foram, foi o ganho em escala de produção. Contudo, outros países também interferiram no desenvolvimento do modelo, em especial a China. Corte de custos foram feitos e isso fica evidente em alguns detalhes.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
O acabamento tem aspecto geral simples, não se destacando na categoria nem positivamente, nem negativamente. Os plásticos usados são de qualidade apenas ok e o volante só se salva pelo revestimento de couro aplicado na versão Midnight, pois tem plásticos evidentemente baratos nas demais regiões.

Igualmente simplificado, o painel de instrumentos é pequeno, tem computador de bordo com tela preto e branco com pixels aparentes e bastante plástico decorativo. Ao menos entrega em tecnologia ao oferecer uma ótima central multimídia com tela de 8 polegadas, gráficos de qualidade, usabilidade amigável e rapidez nos comandos.

Com Android Auto e Apple CarPlay sem fio somente na versão Premier, a Chevrolet deixa um pouco evidente o que ficou faltando nessa versão. Custando R$ 1.000 a mais, o Onix Plus Premier traz revestimento de couro nas portas (plástico duro áspero no Midnight). Ambos usam couro nos bancos, mas o material artificial é evidentemente simples.

A lista de itens de série ainda é contemplada por chave presencial, faróis com projetores e acendimento automático, luzes diurnas de LED, retrovisores elétricos, câmera e sensor de ré, seis airbags, controle de tração e estabilidade, ar-condicionado analógico, vidros elétricos com função um toque para todas as janelas e assistente de partida em rampa.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]

Pretinho básico

O grande charme da versão Midnight está no visual. Tal qual o Onix RS, essa variante ganha grade frontal exclusiva, rodas de liga-leve de 16 polegadas com acabamento preto brilhante, máscara negra nos faróis e interior com detalhes em preto por todos os cantos.

A exclusividade está na cor preto Ouro Negro, que é metálica e presente como única opção nessa versão. Mas há duas inconstâncias. O Onix Plus Midnight traz o nome Premier em sua traseira (algo que ele não é) cromado, assim como o logo Turbo. Enquanto isso, o nome Onix é em preto.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Além disso, diferentemente do Onix RS que tem teto interno em preto para dar um visual mais esportivo, o Onix Plus Midnight, que adota a cor preta em tudo, tem a parte interna do teto na mesma cor das demais versões. Isso tudo sem contar a chave que tem gravata dourada ao invés da preta do restante do carro.

Impulso turbinado

Tal qual acontece com o Onix RS, a versão especial do Onix Plus também é disponibilizada somente com um conjunto mecânico. Debaixo do capô preto do Midnight reside um motor 1.0 três cilindros turbo de 116 cv e 16,8 kgfm de torque, sem injeção direta como seus rivais Hyundai HB20S T-GDi e Volkswagen Virtus TSI.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
A transmissão, por sua vez, é uma automática de seis marchas e que segue exatamente a mesma receita dos concorrentes. Contudo, a conversa entre motor e câmbio é um pouco ruidosa. Nem sempre o que um quer fazer, o outro está disposto.

Em retomadas, por exemplo, há um evidente delay entre a aceleração do pedal e a redução de marchas para que o motor turbo ganhe fôlego. A vantagem, no entanto, é que quando o motor do Onix Plus enche, ele sai em disparada com até um certo temperinho esportivo. Prova disso é que chega aos 100 km/h em 9,7 segundos, segundo a GM.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
A transmissão também é adepta a trancos, sentidos especialmente nas reduções e em marchas mais baixas. Ainda assim, tenta trabalhar com suavidade em boa parte do tempo, tornando as trocas quase imperceptíveis nos momentos em que não engasga. Há de notar também a certa demora nas trocas quando comparado a alguns concorrentes.

Como fica evidente pelo posicionamento da Chevrolet para o Onix Plus, ele é um carro voltado ao conforto. A suspensão é bastante macia, mas sem deixar o carro bobo ou descontrolado em estrada. Nem mesmo ventos laterais o tornam suscetíveis a mudanças bruscas de direção. Mas, tal qual o Tracker, a suspensão traseira gosta de fazer barulho em ruas esburacadas.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
A direção também é leve na medida para o conforto na cidade e em manobras. Tem atuação rápida e filtra bem as imperfeições do asfalto. Se vale uma observação, poderia ficar um pouco mais firme na estrada, onde o excesso de assistência compromete um pouco a confiança em velocidades mais altas.

Mas a surpresa fica por conta do consumo. Durante nossos testes, o Onix Plus Midnight marcou em trechos de estrada 19 km/l com facilidade usando gasolina. Com etanol, os números não passaram de 13 km/h na estrada. Já na cidade ele sempre ficava acima de 12 km/l, independentemente do combustível usado.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]

Veredicto

O Chevrolet Onix Plus é um dos raros casos de carros recomendáveis para diversas situações. Comprá-lo é a certeza de não cometer um erro, afinal é um sedã espaçoso, com bom porta-malas, boa lista de itens de série, motor turbo competente e econômico, além de ter boa fama no mercado. É como uma camiseta preta, sempre vai servir para qualquer situação.

A versão Midnight apela para a cor preta pela carroceria e em detalhes para parecer mais especial que outras variantes. Vale à pena por R$ 1.000 a menos que a Premier? Não por trazer central multimídia com menos recurso e acabamento ainda mais simples do que é. A não ser que faça muita questão mesmo do visual todo escurecido.

Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Onix Plus Midnight [Auto+ / João Brigato]

>>Avaliação: Chevrolet Tracker LT é um belo sorvete de creme Haagen-Dazs

>>Chevrolet Onix RS mira esportividade, acerta no conforto – Avaliação

>>Comparativo: Nivus Highline e Tracker LT são tão iguais e tão diferentes

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

Um comentário

Clique aqui para comentar

  • Gosto de carro preto, mas totalmente preto não curto. Para mim o carro tem que ter um detalhe que destaca no meio do escuro.
    Tenho um Fusion todo preto, mas as rodas são brancas diamantadas. Fica show.
    Estou pensando em pegar um DS5 ou o Onix Plus, para sair do preto. O DS5 seria prata ou branco e o Onix azul, vinho ou prata.