Destaque Novidades

Prestes a mudar, Renault Captur agora só tem versão Bose de R$ 112.890

Reestilização do Renault Captur está praticamente pronta, enquanto isso marca francesa enxuga gama de versões e deixa somente a Bose 1.6 CVT
Renault Captur Bose (divulgação)

A Renault continua a enxugar a gama de carros à venda no Brasil. De uma só vez ela tirou todas as versões do Renault Captur de linha, mantendo somente a opção Bose que, até então, seria uma série especial. Por ele a marca francesa pede R$ 112.890.

Antes dessa mudança de versões, o Captur era vendido no Brasil nas versões Zen 1.6 manual, Life PCD CVT, Intense 1.6 CVT, Bose 1.6 CVT e Bose 2.0 automática. Os preços começavam em R$ 92.990 e iam até R$ 111.190 pelo modelo Bose 1.6 que, ironicamente, era mais caro que o Bose 2.0 vendido a R$ 110.790. A mudança na gama de versões fez com que o Bose 1.6 restante encarecesse R$ 1.700.

Renault Captur Bose (divulgação)
Renault Captur Bose (divulgação)

O fato de a Renault vender somente a versão mais cara e equipada do Captur pode sinalizar a intenção de promover o modelo de categoria. Apesar de ser um SUV compacto em preço e qualidade de acabamento (seu ponto mais criticado), o modelo tem 4,32 m de comprimento, pouco a menos que os 4,41 m do Jeep Compass.

Captur turbo

A reestilização do Renault Captur trará além do novo design um acabamento interno mais sofisticado e refinado a fim de separar o modelo do Duster. Outra novidade importante será o motor 1.3 TCe quatro cilindros turbo. Hoje ele usa um 1.6 aspirado de 120 cv e 16,2 kgfm de torque.

Renault Captur Bose (divulgação)
Renault Captur Bose (divulgação)

A potência ainda não foi divulgada para esse novo motor. Nos Mercedes-Benz (Classe A, GLA e GLB) que usam esse motor, ele entrega 156 cv e 25,5 kgfm de torque. O Captur deve ter ainda mais cavalos, visto que nos modelos alemães esse motor bebe apenas gasolina, enquanto no Renault ele também poderá ser abastecido com etanol.

Outro modelo que terá motor 1.3 quatro cilindros turbo é justamente o Jeep Compass – esse com potência esperada na faixa dos 170 cv. Com acabamento mais sofisticado, motor turbo e mais itens de série, a promoção do Captur para a categoria do Compass pode fazer sentido.

>>VW Golf, Renault Clio e Peugeot 208: mais vendidos da Europa em 2020

>>Renault Duster se despede do Ford EcoSport nas redes sociais

>>Avaliação: Duster é o melhor Renault feito nos últimos anos

Sobre o autor

João Brigato

8 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Pra variar, a estupidez reinando nas estratégias das marcas francesas. Se a Captur já não vendia, não é a versão mais cara – com todos os problemas indicados por usuários e críticos – que irá vender. A título de comparação, enquanto uma versão Bose custa 112 mil, uma BMW X1 2017 custa 130 mil. Só um estúpido não vê isso. Já que era pra manter uma única versão, deveria ter deixado a Intense.

    • Renault Captur foi o pior carro que já tive, só tem visual, o carro é uma m****, parece um trator, só faz barulhos e não sai do lugar.

      • Estou no meu 2 Captur o carro é maravilhoso e excelente valor revenda. Troquei pelo Bose, e com certeza quando lançarem motor 1.3 turbo trocarei.

  • Renault Captura foi o pior carro que já tive, só tem visual, o carro é uma m****, parece um trator, só faz barulhos e não sai do lugar.

  • Eu tenho um Captur e acho um carro honesto que entrega o que promete. Comparado com os concorrentes ele é mais alto e espaçoso perdendo apenas para o Duster que é da mesma familia

  • As empresa francesas não aprendem mesmo pelamordedeus.

    Como o colega disse: já não vendia e agora mais caro, não vai vender mesmo.

    SUV que vende é honda. Se quiser participar do mercado, faça melhor e mais barato.

    Os responsáveis por essa barbaridade são um bando de burros motivados (me perdoem os burros)…