Destaque Novidades

Volkswagen Jetta: nova versão com 1.6 de Gol já nasce como mico

Inédito Volkswagen Jetta Startline 1.6 MSI estreia no México com produção limitada, motor fraco e preço equivalente ao do Virtus
Volkswagen Jetta MSI Startline [divulgação]
Volkswagen Jetta MSI Startline [divulgação]

Enquanto aqui no Brasil o espaço entre Virtus e Jetta é preenchido pela versão esportiva GTS do sedã compacto, no México a Volkswagen decidiu por uma estratégia completamente diferente. Instalou o motor 1.6 do Gol no Jetta e lançou a nova versão Startline, que terá produção limitada e deve se tornar um mico no mercado futuramente.

Não que o motor 1.6 MSI quatro cilindros aspirado de 110 cv e 15,8 kgfm de torque, seja ruim. Afinal, aqui no Brasil rende 117 cv e 16,5 kgfm de torque por conta do uso do etanol e serve bem aos irmãos Polo MSI, Virtus MSI, Gol automático, Voyage automático e Saveiro Cross. Contudo, em um modelo de maior porte e status como o Jetta, o motor 1.6 não parece casar.

Aqui no Brasil, a geração anterior do Jetta era criticada por contar com um motor 2.0 aspirado fraco, imagine se a VW decidisse lançar o sedã médio com motor 1.6 aspirado como fez no México? Tal como acontece com todos os modelos (menos a Saveiro) vendidos no Brasil com esse motor, o Jetta 1.6 MSI usa câmbio automático de seis marchas.

Se apenas o motor fraco fosse problema, o Jetta MSI poderia encontrar seu público, especialmente por conta do preço mais baixo que o de outras versões do sedã médio. Contudo, a Volkswagen já decidiu de antemão que ele terá produção limitada e curta. Serão feitos apenas 2.350 unidades do Jetta MSI, o que poderia dar ao modelo o status de raridade no futuro, ou de mico, como aconteceu como antigo Polo 1.0 16V no Brasil.

Segundo a VW do México, o Jetta Startline terá a mesma lista de equipamentos da versão Trendline, equivalente à 250 TSI vendida no Brasil até a pouco tempo. A diferença ficará por conta da presença de calotas e pelo motor bem mais fraco. Vale lembrar que o Jetta Trendline mexicano usa o 1.4 TSI quatro cilindros turbo de 150 cv e 25,5 kgfm de torque que está nas versões Comfortline e R-Line no Brasil.

Por esse exótico Jetta, a Volkswagen pede 289.990 pesos mexicanos, o que equivale a R$ 73.279. Isso fez com que o preço mínimo por um Jetta no México ficasse abaixo dos 319.990 pesos (R$ 80.881) cobrados pela versão Trendline e que fosse equivalente ao que a marca pede pelo Virtus importado do Brasil.

>>Jeep Compass da Volkswagen será o Taos e estreia em 13 de outubro

>>VW Jetta GLI: o sedã versátil de 230 cv

>>Volkswagen Polo Track confirmado: vem aí um SUV ou um Polo Cross?

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

2 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Quem já viajou (mais de 1 vez) pro México já constatou 2 coisas:

    1- Lá o jetta é preferência nacional;
    2- O Jetta basicão pé de boi brota em Locadoras. Preferido dos frotistas.

  • Na Europa é normal ter modelos sedãs médios e até maiores como o Passat com motor 1.6 sem muitos opcionais e câmbio manual. É uma opção a mais para o consumidor que quer um carro maior e não faz questão de um motor mais potente e dos opcionais. Não há nada de errado nisso. Acho que as montadoras não vendem isso aqui porque sabem que o modelo “pelado” causaria dano de imagem ao modelo mais completo pela percepção do público geral brasileiro e, como carro é símbolo de status, perderiam vendas.