Avaliação Destaque

CAOA Chery Tiggo 8: finalmente dá para dizer sim | Avaliação

Existem os carros chineses antes e depois do CAOA Chery Tiggo 8, que finalmente chega em um ponto ideal
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]

Há anos se fala sobre a evolução dos carros chineses, que um dia eles chegarão no mesmo nível dos carros de marcas consagradas. É nítida a rápida evolução deles ao longo dos anos. Mas nenhum até hoje tinha o que era necessário para que, lá no fundo, fosse recomendado no lugar de um modelo tradicional. Até chegar o CAOA Chery Tiggo 8.

O Tiggo 8 é o primeiro carro de uma marca de origem chinesa que sim, pode ser levado para casa sem o menor demérito frente a algum concorrente tradicional. E com o bônus de ser o SUV de sete lugares mais barato do Brasil, ao custar R$ 195.990. Mas é a oitava maravilha do mundo, como gosta de se gabar a CAOA Chery?

Sem economia

Um ponto no qual os carros chineses vinham caprichando ultimamente era em acabamento. O Ford Territory já mostrava onde as marcas conseguiam ir, mas a CAOA Chery com o Tiggo 8 mostrou como se faz. Ele está no mesmo nível do Jeep Commander e do Volkswagen Tiguan, seus principais concorrentes.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
Todo painel é feito com material macio ao toque, sendo a parte superior emborrachada e a inferior em couro com costura. Nas portas, a parte de cima usa couro texturizado mais duro e a inferior o mesmo material dos bancos. Plástico só é encontrado na parte inferior das portas e do painel – ainda assim, um material de qualidade. E isso vale até para as portas traseiras.

Os encaixes são bem feitos e a escolha de texturas foi bem feliz. Salvo os comandos do espelho retrovisor e as hastes de comando atrás do volante, nada parece feito de material que seria usado em um hatch de entrada. Até mesmo o couro sintético usado nos bancos passa qualidade e o carpete do porta-malas é macio e superior à média.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]

Telas e etc

Junto a sensação de qualidade transmitida, o Tiggo 8 tem visual elegante na cabine. O estilo horizontalizado traz sensação de amplitude. Somado a isso, temos um painel de instrumentos totalmente digital com tela de boa definição, mas que poderia ter layouts diferentes, já que o visual é um tanto quanto cansativo e pouco prático.

A central multimídia é grande e traz compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay com conexão por cabos. Ela é rápida na execução dos comandos no espelhamento, mas no uso da interface da Chery apresenta alguns delays e tem funcionamento um pouco confuso. Ainda assim, melhor que a central usada no Tiggo 5X e no Tiggo 7.

O SUV de sete lugares ainda traz ar-condicionado digital com duas zonas, tudo controlado por uma placa sensível ao toque com dois rotores. A CAOA Chery ainda introduziu um comando redundante na central multimídia que poderia ser desativado para não atrapalhar o uso dos mapas.

Destaque ainda vai para o sistema de iluminação de LED com diversas cores disponíveis, mas que se alternam conforme o ritmo da música. O Tiggo 8 ainda conta com sistema de câmeras 360° com opção de aproximação das câmeras e imagens dinâmicas conforme o acionamento da seta.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]

Espaço, espaço e quase aperto

Quesito espaço interno é algo primordial para quem busca um SUV de sete lugares. Afinal, é preciso que todos sejam bem servidos em uma viagem. Quem se senta à frente tem uma posição de dirigir mais alta, mas com ajustes elétricos para todas as posições do banco. O passageiro também tem comandos elétricos, mas não há ajuste de altura.

Volante regula em altura e profundidade, algo indisponível no Arrizo 6, o sedã mais caro da CAOA Chery. As regalias na dianteira incluem console central refrigerado e com diversas e práticas divisões, além de carregador de celular sem fio e um console enorme em baixo, onde ficam as duas entradas USB.

Na traseira, como é de praxe em modelos chineses, o espaço é vasto. É possível um passageiro alto sentar-se atrás de um motorista igualmente alto com as pernas cruzadas. Como bônus, o teto solar panorâmico de série ilumina a cabine e traz uma dose a mais de requinte. Já a terceira fileira, não há milagre.

O acesso é facilitado pelo banco corrediço e pelas portas grandes. Diferentemente de muitos modelos da categoria, o piso é um pouco mais baixo, possibilitando não ficar com o joelho tão alto. Além disso, os pés cabem em baixo dos bancos da fileira do meio. Ainda assim, é um espaço para crianças ou adultos de, no máximo 1.70 m.

Já o porta-malas, com abertura elétrica, traz capacidade bem aproveitada de 140 litros com os sete assentos ou 500 litros com a terceira fileira deitada. São números satisfatórios para um SUV que quase entra no território das jamantas. Afinal, com 4,70 m de comprimento, 1,86 m de largura, 1,70 m de altura e entre-eixos de 2,71 m, ele é um SUV médio quase grande.

Força extra

Se antigamente um SUV de sete lugares precisava de um motor V6 para sobreviver, agora um quatro cilindros turbo dá conta do recado. Debaixo do capô, o CAOA Chery Tiggo 8 conta com motor 1.6 quatro cilindros turbo com saudáveis 187 cv e 28 kgfm de torque. Pena que bebe apenas gasolina, ao contrário de todos os outros modelos da marca.

[Auto+ / João Brigato]
[Auto+ / João Brigato]
Ao menos, entrega performance bastante animadora. As acelerações são vigorosas, com pedal da direita bastante sensível. O Tiggo 8 tem um certo turbolag, com o SUV andando manso até os 2 mil giros e depois crescendo evidentemente dali em diante. Justamente é nessa faixa que o torque máximo chega.

Para controlar essa força, o Tiggo 8 conta com transmissão automatizada de dupla embreagem com sete marchas. Mas fique tranquilo, é banhada a óleo e nada a ver tem com o câmbio PowerShift, que é parente do usado nos Tiggo 5X e Tiggo 7. Com trocas supreendentemente suaves e rápidas, o câmbio trabalha com agilidade e esperteza.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
O Tiggo 8 sabe o momento certo de reduzir marcha e acelerar mais forte, assim como segura marchas na hora necessária. Contudo, na estrada, ele fica em constante briga entre a sexta e sétima marcha desnecessariamente. Esse comportamento é visto tanto no modo Eco, quanto no Sport.

Durante nossos testes com rodagem 70% na estrada, o Tiggo 8 marcou 10,2 km/l.  Uma média ponderada entre os 9,8 km/l na cidade e 12 km/l na estrada declarados pelo INMETRO. Pena que o tanque de 51 litros seja pequeno para ele, reduzindo a autonomia total. No meu caso, chegou a 430 km com um tanque cheio.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]

Conforto ou moleza

Costumeiramente, os brasileiros tendem a gostar mais de carros com suspensão mais firminha e que tenha boa absorção de impacto do solo. Essa escola mais europeia de comportamento é seguida pela maioria das marcas que atuam aqui, mas a CAOA Chery ainda é mais próxima do estilo chinês de condução.

Por lá, eles preferem suspensões molengas e extremamente macias. O Tiggo 8 pende para esse lado, com conjunto voltado para o conforto e maciez. Isso faz com que ele balance um pouco mais nas curvas e não seja ávido de uma tocada mais esportiva – algo que genuinamente não combina com um SUV de sete lugares.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
O problema é que a absorção de impacto em superfícies ruins deixa a desejar. A suspensão trabalha com barulho excessivo e com retorno de impacto mais forte. Ainda assim, o Tiggo 8 roda como um tapete mágico nas estradas, com compostura e elegância.

Nessa mesma pegada está a direção. O bom é que ela conta com dois modos de uso: confortável e sport. No primeiro, fica leve o tempo todo e mais macia. Contudo, recomendo que deixe sempre em sport: nesse acerto ele tem peso muito bem calibrado e a leveza necessária na hora das manobras. A atuação é rápida e pouco anestesiada.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
Na parte tecnológica, ele conta com sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, alerta de tráfego cruzado, chave presencial por distância, faróis com ascendimento automático, seis airbags, sensor de fadiga, alerta de ponto cego, assistente de partida em rampa e auto-hold. Só ficou devendo piloto automático adaptativo e frenagem de emergência.

Veredicto

Por muito tempo, os carros chineses chegavam quase lá. Tinham seu charme, mérito e custo-benefício. Mas era difícil recomendá-los frente a um concorrente tradicional. O jogo virou com o CAOA Chery Tiggo 8. Ele é verdadeiramente um concorrente à altura do Jeep Commander, com a vantagem de ser mais barato.

CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
CAOA Chery Tiggo 8 [Auto+ / João Brigato]
Além disso, se mostra mais interessante e racional que um VW Tiguan usado. Ele é a prova de que os chineses aprendem muito rápido e vão fazer produtos no mesmo nível das marcas tradicionais, como é o caso do Tiggo 8. Oitava maravilha do mundo? Exagero. Melhor carro chinês à venda no Brasil? Definitivamente sim. E mais: um dos melhores SUVs de sete lugares fabricados por aqui.

>>CAOA Chery Arrizo 6 PRO vai satisfazer futuros órfãos? | Impressões

>>Novo Chery QQ começa a ser vendido por R$26 mil. CAOA deve trazer?

>>Exclusivo: CAOA Chery Tiggo 8 Plus chega até janeiro de 2022

Sobre o autor

João Brigato

Um comentário

Clique aqui para comentar

  • Concordo plenamente com a análise. É o maior custo-benefício, entregando muita qualidade. Por conta disso, o Tiggo 8 entrou na minha “wish list”. ☺️