Avaliação Destaque

Chevrolet Equinox RS é o SUV com jeitão americano | Impressões

Modelo mais importante e mais vendido da Chevrolet no mundo, Equinox quer provar que a marca sabe fazer um bom SUV
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]

No Brasil, apesar do crescimento dos SUVs, os hatches compactos ainda são o grande fervo do país. Lá nos EUA, porém, são os SUVs e picapes que dominam. Prova disso é que o carro de passeio mais vendido da Chevrolet no mundo não é o Onix, mas sim o Equinox. Por isso, a GM não poderia errar nessa reestilização do modelo.

Para o Brasil, duas versões foram escaladas: a RS de apelo esportivo e que substitui a antiga LT, enquanto a Premier segue em catálogo como a opção luxuosa e com tração nas quatro rodas como uma alternativa e diferencial. Apesar de não revelar os preços, a Chevrolet nos levou para experimentar a grande estrela de sua gama de produtos.

Camaro não

Mecanicamente não houve mudanças no Chevrolet Equinox 2022. Ele segue com motor 1.5 quatro cilindros turbo a gasolina de 172 cv e 27,8 kgfm de torque. Lembra do antigo 2.0 quatro cilindros turbo que vinha do Camaro e tornava o Equinox um dos SUVs médios mais rápidos do mercado? Ele não existe mais nem nos EUA.

Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Com 1.561 kg, o Equinox é maior que um Jeep Compass e pesa praticamente a mesma coisa. Contudo, os cavalos a menos em relação ao SUV da Stellantis não fazem do Chevrolet mais lento. Na realidade, eles andam parecido e de maneira a dizer suficiente. As acelerações são boas para empurrar o Equinox em linha reta sem passar vergonha ou te deixar irritado.

Junto a isso, o câmbio automático de seis marchas trabalha em absoluto acerto para conforto. As marchas tem trocas imperceptíveis, mantendo sempre o motor em baixo giro. As reduções demoram, especialmente de sexta para quarta, onde ele passa alguns segundos em quinta decidindo o que fazer. Mas depois que isso acontece, ele embala sem dificuldade.

Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]

American way of life

Esse é o mote do Equinox: conforto. Ele foi nitidamente concebido para ser guiado quilômetros a fio pelas rodovias norte-americanas que mais parecem tapetes retos a perder de vista. O SUV se destaca muito pelo conforto acústico com bom isolamento dos ruídos de motor e de vento – na real, só se ouve o barulho dos pneus rolando.

A suspensão é mais macia e que filtra bastante do que se passa no solo. Ela deixa os passageiros serenos e tranquilos à bordo do Chevrolet Equinox, mesmo em trechos de asfalto não bem cuidado. Ainda que as duas versões tenham rodas grandes de 19 polegadas, o rodar do Chevrolet te faz sentir que está relaxando em um sofá confortável em uma sala requintada.

Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Não é de surpreender que a direção seja mais leve e exija pouco esforço para ser manejada. Aliás, esse é um carro em que o condutor não terá que se desgastar para dirigir, podendo ficar horas atrás do volante sem a coluna reclamar ou se sentir exausto. Há de notar, porém, que o Equinox Premier roda mais firme e sólida por conta do peso extra da tração integral.

Cruzamentos

A reestilização trouxe importantes novidades para o exterior do Chevrolet Equinox. O SUV médio ganhou dianteira com faróis divididos pela grade frontal e iluminação full-LED, que é mais complexa no Premier. Para-choques novos na frente e atrás são acompanhados por lanternas traseiras de LED com desenho parecido com o do Cruze.

Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Por falar em Cruze, além de dividir plataforma com ele, o Equinox tem muito do interior do sedã. O volante é o mesmo, que já está bastante datado. Outro elemento que merecia ter sido atualizado é o painel de instrumentos. Apesar da boa tela do computador de bordo, os mostradores analógicos parecem antigos frente a concorrência que já apela para o digital.

No lado da modernidade, porém, o destaque vai para a central multimídia. Ela conta com Spotify integrado e que permite ouvir suas playlists e podcasts sem precisar usar os dados do seu celular ou o Android Auto e Apple CarPlay (conectados sem fio). Há ainda integração com Amazon Alexa.

Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
O visual também não é dos mais modernos, diferentemente do exterior. Materiais são ok, com boa qualidade de montagem e uso corretos de plásticos, que até são emborrachados, mas não macios ao toque. É um carro superior em refinamento ao Volkswagen Taos, um pouco acima do Toyota Corolla Cross, mas muito longe do Jeep Compass em qualidade de acabamento.

Contudo, o Equinox dá um banho nesse trio em espaço interno. O Chevrolet é gigante por dentro, com muito espaço na traseira a ponto dos passageiros por lá poderem cruzar as pernas mesmo com gente alta sentada na frente. O porta-malas com 468 litros é igualmente grande e arrisco dizer que o SUV poderia ter sete lugares sem dificuldade.

Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet Equinox RS [Auto+ / João Brigato]

Veredicto

Mais bonito que antes, recheado de tecnologias como piloto automático adaptativo, frenagem autônoma de emergência, central multimídia bem moderna e agora faróis full-LED, o Chevrolet Equinox segue como uma ótima alternativa no segmento de SUVs médios. Falta só a GM divulgar os preços para saber se é melhor levar o RS ou o Premier.

Ele é maior que a média da categoria, tem condução bastante confortável e conjunto mecânico suficiente, mas surpreendentemente econômico. Não vai vender tanto quanto um Jeep Compass, só que quem quer se diferenciar do lugar comum do segmento e ter mais espaço, o Chevrolet Equinox entrega todo estilo americano de viver.

>>Chevrolet muda foco do Equinox 2022, mas não revela preços

>>Cadillac Escalade-V tem a potência de seis Chevrolet Onix turbo juntos

>>Chevrolet Camaro 2022 ganha wi-fi grátis e Spotify na central multimídia

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar

Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva