Destaque Novidades Serviço

Conheça a diferença entre as categorias de segurança veicular

Segurança ativa, passiva, assistência à condução; entenda cada uma delas
Cinto de segurança
Equipamento deve ser usado por todos os ocupantes do veículo (reprodução)

A Campanha do Maio Amarelo passou, mas a conscientização para a segurança no trânsito continua por todos os meses do ano. Com isso, o Cesvi Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária) reuniu as cinco categorias de segurança veicular e explicou quais equipamentos fazem parte de cada uma delas — e quanto eles podem te proteger em acidentes.

De acordo com Emerson Feliciano, superintendente técnico do Cesvi Brasil, a segurança veicular é o processo de desenvolvimento de tecnologias e soluções automotivas que visam proteger o motorista, os ocupantes e, eventualmente, as demais pessoas envolvidas no trânsito. “Itens de segurança, tecnologias embarcadas e boas práticas na direção são três aspectos que, quando alinhados, tendem a diminuir o número de acidentes”, comenta.

Abaixo, confira as cinco categorias de segurança veicular:

  1. Segurança ativa: É o grupo de tecnologias de segurança desenvolvido para evitar o acidente, por exemplo, o Antilock Braking System (ABS), o Electronic Stability Control (ESC), entre outros.
  2. Segurança passiva: É toda proteção desenvolvida para minimizar os ferimentos em caso de acidentes. Entre eles, é possível citar: airbags, apoio de cabeça, cinto de segurança de três pontas, isofix etc.
  3. Assistência à condução: São sistemas e dispositivos que auxiliam o condutor do veículo à uma direção mais segura. Neste caso, é possível citar: alerta de frenagem de emergência, Head–Up Display (HUD), desembaçador traseiro, detector de mudança de faixa (lane detection), frenagem autônoma de emergência, entre outros.
  4. Assistência à segurança: Estes equipamentos visam alertar os passageiros para o uso de equipamentos de segurança, ou seja, são os já conhecidos alerta de desativação de airbag (visível), alerta de uso de cinto de segurança e o detector de fadiga.
  5. Proteção ao pedestre: São soluções tecnológicas e inovadoras que tem o objetivo de diminuir os ferimentos ao pedestre em caso de atropelamento. Entres eles, listamos o capô ativo, barra de proteção ao pedestre e até airbag para pedestre.

Efetividade dos sistemas de segurança

Para se ter uma ideia de como cada item é importante, os cintos de segurança, por exemplo, reduzem os riscos fatais em 50% nos acidentes. Se houver sistema de alerta do uso de cinto de segurança, 5% de vidas podem ser salvas em acidente. Ou seja, não adianta contar com recursos mais sofisticados se o básico deles não é utilizado.

Quando um veículo tem airbags frontais, os riscos de ferimentos fatais são reduzidos em 26% e para passageiros, 14%, isso, sempre usando os cintos de segurança ao mesmo tempo. Os airbags laterais diminuem o risco de fatalidade em 37%, enquanto para SUVs é 52%.

Já quando um carro é equipado com controle de estabilidade, os riscos de acidentes fatais caem em 23%. No caso de capotamento, o recurso pode reduzir até 56% em veículos de passeio e até 74% em picapes e SUVs.

Em modelos que contam com Frenagem Autônoma de Emergência (que equipam carros mais sofisticados aqui no Brasil), as colisões traseiras são reduzidas em 38% em situações reais.

Veja mais:

>> A importância do uso do cinto de segurança no banco traseiro

>> Como preservar a embreagem do carro

>> Velas de ignição: veja como fazer a manutenção

Sobre o autor

Avatar

Redação

Comente

Clique aqui para comentar

Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva

Encontre peças e acessórios