Destaque Mercado

GM começa plano de demissão voluntária no Brasil

O programa de demissão voluntária afeta a fábrica da GM em São José dos Campos, no interior de São Paulo e de onde sai a S10 e o Trailblazer
gm
Fábrica GM em São José dos Campos SP [Divulgação]
Compartilhar

Após a repercussão das demissões via e-mail e durante um fim de semana, a situação das fábricas no interior de São Paulo da GM parece ter se estabilizado. Agora, foi iniciado o plano de demissão voluntária entre os funcionários. Segundo estimativa dos executivos, mais de 830 trabalhadores deverão aderir ao movimento.

O programa foi uma solução encontrada pela empresa e pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, logo após o cancelamento das 1.245 demissões nas fábricas de São José dos Campos e Mogi das Cruzes, no interior de São Paulo. Toda essa ação foi debatida em uma assembleia realizada no último dia 1 e o programa pode ser contemplado por quem está operando regularmente nas fábricas ou que se encontre de licença remunerada.

O período de adesão é entre dia 5 e 12 de dezembro e cada trabalhador ativo que entre nessa proposta, haverá o retorno de um funcionário que esteja de licença remunerada. A GM afirmou que quem não aderir ao serviço, terá estabilidade no emprego até maio de 2024. Já em relação aos dias não trabalhados durante a greve, os funcionários terão compensação de 50% até junho de 2024, segundo a demanda de montagem. Em São José dos Campos, tem mais de 4 mil trabalhadores ativos e que produzem a caminhonete S10 e o SUV Trailblazer.

Chevrolet S10 Midnight [Auto+ / João Brigato]
Chevrolet S10 Midnight [Auto+ / João Brigato]

Trabalhadores terão diversas recompensas

Para amparar cada funcionário que sair da empresa, haverá uma série de benefícios. Quem tem de um a seis anos de trabalho levará seis meses de salário, adicional de R$ 15 mil, plano médico por três meses ou R$ 6 mil. Já os trabalhadores como mais de sete anos de casa, a proposta envolve pagamento de cinco meses de salário, um Chevrolet Onix hatch LS ou R$ 85 mil, plano médico pago por seis meses ou R$ 12 mil.

Toda essa mobilização nas fábricas da GM começou após uma série de demissões via telegramas e e-mails em um final de semana de outubro deste ano. Na época, a empresa revelou que os cortes eram para adequar a agilidade de produção e que havia uma considerável queda nas vendas dos seus modelos. Após toda a polêmica, o conglomerado voltou atrás em sua decisão e os funcionários foram reintegrados ao quadro de trabalhadores.

Chevrolet Trailblazer Premier [divulgação]
Chevrolet Trailblazer Premier [divulgação]

O que você achou da decisão da GM? Conte nos comentários


>>Ar-condicionado ligado gasta mais combustível na estrada?

>>Flagra: BMW já testa o futuro iX3 nas ruas

>>Audi Q6 e-Tron já roda em testes finais e vem ao Brasil em 2024

Sobre o autor

Felipe Yamauchi

Comente

Clique aqui para comentar

Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva

Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso serviço você aceita tal monitoramento. Para mais informações leia nossa
Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso serviço você aceita tal monitoramento. Para mais informações leia nossa