Novidades

Evento em SP debateu futuro da mobilidade

Segunda edição do WeMuv Summit reuniu grandes empresas do setor
(reprodução)

Nessa semana aconteceu a segunda edição do WeMuv Summit, evento que contou com debates sobre o futuro da mobilidade e como as empresas estão contribuindo nessas mudanças nos dias de hoje. Foram mais de dez horas de discussões com conteúdo sobre locomoção corporativa e tendências tecnológicas, envolvendo diversos representantes de empresas do setor.

Em comum entre todos os palestrantes, o pensamento é que o futuro da mobilidade depende da união entre as empresas do mercado, sendo preciso trabalharem juntos. Dessa forma, um complementará o outro com sua experiência na área e, assim, oferecerá uma melhor experiência ao usuário final.

Na abertura do evento, o CEO da Easy Carros, Fernando Saddi, comentou sobre as inovações que estão surgindo na mobilidade e como o futuro ainda reserva importantes mudanças para o setor. O executivo relatou também que o carro deixará de ser uma prioridade para as pessoas, sendo que, em breve, isso estará apenas nas mãos das empresas, destacando a necessidade das soluções serem concentradas nesse mercado.

No painel “Como a inovação em mobilidade transformou minha empresa” estiveram presentes Gabriel Arcon (E-moving), Diego van Dyk (Voom), Bruno Nardon, (Rappi), Roberta Ferreira (ALD), e Daniel Bedoya (Cabify). Eles fizeram o debate sobre os benefícios e malefícios de desenvolver um negócio baseado em mobilidade.

Já na palestra ministrada por Sylvio de Barros, fundador da ICarros e ZFlow, ele comentou sobre a mudança ocorrida quando os bancos começaram a investir no setor. O executivo garantiu que, no futuro, as jornadas de compra e aquisição nesse mercado vão ser mais eficientes e menos burocráticas.

No painel “O que as empresas estão planejando para os próximos cinco anos” estiveram presentes Luiz Fernando Diniz (Webmotors), Kleber Kikunaga (Autopass), Fábio Rabelo (Volkswagen), e Maria Carolina Tavares (ConectCar). No debate, todos os palestrantes concordaram que é necessário democratizar a mobilidade. Quando assunto é relacionado à carsharing, Luiz Fernando aposta numa revolução na forma de vender carro, “acreditamos 100% que a solução é o compartilhamento”, explica.

Outro ponto abordado no debate foi sobre “Como preparar minha empresa para o futuro da mobilidade”, no qual reuniu Caio Rena (RoutEasy), Marcos Valillo (Pointer), Maxmiliano Fernandes (TicketLog) e Luiz Guilherme Crus (xMultas).

No evento foi abordado também dados alarmantes sobre o trânsito brasileiro por Flavio Tavares (Instituto Sem Parar). Segundo ele, uma pessoa morre a cada quatro horas, enquanto que, por ano, são 34 mil vidas perdidas no trânsito. E o mais preocupante: quase que o total de acidentes (93%) são causados por imprudência. Tavares destacou a necessidade das empresas assumirem sua importância social na construção de alternativas e soluções para a mobilidade urbana.

Por fim, o evento terminou com uma palestra de Renato Franklin, CEO da Movida, sobre “Como será o futuro da Mobilidade”, onde ele deu sua visão sobre os avanços da tecnologia. Além disso, discorreu sobre o já existe relacionado aos carros conectados e autônomos. “Acreditamos que é algo que não está longe de acontecer”, encerrou.

Segundo o Instituto WeMuv, em 2018 será lançado uma plataforma 100% aberta no qual os interessados poderão desenvolver algum tipo de tecnologia de mobilidade. Com isso, todos terão acesso e, consequentemente, será criado um sistema sólido, com troca de informações e uma base de dados que permitirá avanços consideráveis na área.

Veja mais:

>> Hyperloop: Brasil pode ter centro de desenvolvimento de “trem” supersônico

>> Waze avisará Prefeitura de SP sobre semáforos quebrados

>> Locadora de automóveis promete revolucionar serviço em SP

 

Sobre o autor

Redação

Comente

Clique aqui para comentar

Vídeo

Triumph T120 Black: uma clássica Bonneville com pegada agressiva