Destaque Novidades

Carros importados da Europa ficarão mais baratos no Brasil

Acordo entre União Europeia e Mercosul propõe futuramente zerar tarifas de importações de carros produzidos no Velho Continente
Volvo S60 Polestar [Auto+ / João Brigato]
Volvo S60 Polestar [Auto+ / João Brigato]

Prepare o bolso pois os carros importados da Europa ficarão mais baratos no Brasil. Um acordo assinado entre o Mercosul e a União Europeia determinou redução de impostos para carros feitos no Velho Continente. Mas a redução de valores será progressiva.

Nos próximos sete anos, o Brasil terá direito a importar 32 mil carros por ano da Europa com imposto reduzido pela metade. Hoje são 35% de tarifa de importação, que passará a 17,5%. O volume excedente de carros terá imposto total cobrado. A alíquota será reduzida gradativamente nos oito anos seguintes até ser totalmente zerada.

Haverá também divisão com outros países, a Argentina terá cota anual de 15.500 veículos, enquanto o Uruguai ficou com 1.750 carros por ano e o Paraguai com 750. Marcas que hoje importam carros da Europa como BMW, Audi, Mercedes-Benz, Volvo, Audi, Porsche, Peugeot e Renault serão diretamente beneficiadas com o acordo.

Porsche Taycan Turbo S [Auto+ / João Brigato]
Porsche Taycan Turbo S [Auto+ / João Brigato]
É possível até que outras marcas passem a se aventurar no mundo dos importados da Europa, visto que os carros chegarão com preço mais competitivo. Hoje os importados ficam restritos a modelos de maior valor agregado para justificar os preços de venda mais altos causados pelos impostos altos.

Haverá troca?

Como os carros brasileiros não interessam diretamente aos europeus, a troca será em outros setores. O café nacional será exportado para o outro lado do Atlântico com imposto zerado daqui há quatro anos. Há também acordos visando redução de impostos para carne bovina, fruticultura e outros setores de produção agropecuária.

Peugeot 3008 GT Pack [Auto+ / João Brigato]
Peugeot 3008 GT Pack [Auto+ / João Brigato]
Não há acordo, ao menos a princípio, para exportação de carros produzidos no Brasil ou no Mercosul para a Europa. Atualmente há somente uma troca de projetos. O Volkswagen Nivus, por exemplo, foi desenvolvido por aqui e será vendido na Europa como Taigo. Já o Ford EcoSport, outro projeto brasileiro, também roda nas ruas do Velho Continente.

>>Chery não vai mais vender carros nos EUA e importadora vai a falência

>>Cinco carros que mudaram de categoria com o passar dos anos

>>Volvo S60 Polestar tem múltiplas almas em um só carro | Avaliação

Sobre o autor

João Brigato

9 Comentários

Clique aqui para comentar

    • E se alguém se empolgou vai tirando o cavalinho da chuva porque e pra benefiar quem tem revendas e acabar com os poucos empregos que ainda restam..

  • Ficarão mais baratos ou apenas pagarão menor imposto de importação? Acho mais provável que essa diferença se reverta em maior lucro para os importadores do que em preços mais baixos nas lojas.

  • Vai baratear carros para os mais ricos e encarecer o café com o zeramento dos impostos para exportação. Sem mais comentários.

  • Os carros não ficarão mais baratos. Eles (empresas) irão manter o preço dos carros. Com a queda do imposto, irão deixar de reajustar o preço por um ano e dirão que iriam aumentar, mas a diminuição do imposto não foi necessário. Assim eles vão conseguir aumentar o lucro deles e possivelmente melhorar a margem de negociação deles.

    Já viram preço de carro 0km abaixar?

  • Tradução: irão baixar os impostos e manterão os preços como se tivesse com imposto = mais lucro para empresa. Nenhuma empresa joga prá perder, se não ganhasse alguma coisa com essa manobra, certamente não iriam aceitar.

    • E se alguém se empolgou vai tirando o cavalinho da chuva porque e pra benefiar quem tem revendas e acabar com os poucos empregos que ainda restam..

  • Posso até estar me adiantando, mas com a eletrificação dos automóveis essa é uma forma dos europeus jogarem esses carros a combustão aqui para o terceiro mundo.