Curiosidades Destaque

5 versões legais do Volkswagen Golf que não tivemos no Brasil

Volkswagen Golf é um dos hatches mais queridos do Brasil, mas mesmo assim algumas de suas versões mais legais nunca vieram
Volkswagen Golf GTI Clubsport S [divulgação]
Volkswagen Golf GTI Clubsport S [divulgação]

Volkswagen Golf é o primeiro nome que vem à cabeça quando se trata de hatch médio. Um dos mais populares carros do mundo e um dos mais admirados da categoria globalmente, ele teve carreira curta no Brasil. Ainda que não tenha faltado opções interessantes, essas cinco versões legais do Golf nunca vieram para cá.

Golf R

Volkswagen Golf R [divulgação]
Presente como R32 na quarta geração e quinta geração e somente como R na sexta, sétima e na atual oitava geração, a versão mais esportiva do Golf é um verdadeiro canhão. Em sua aplicação no MK4, o Golf R tinha tração integral e 30 cv extraídos do motor 2.0 TSI usado até hoje no Tiguan R-Line.

Volkswagen Golf R32 [divulgação]
Já no Golf R32 da quarta geração, o motor era o VR6 de 241 cv ligado a uma tração integral 4MOTION. Essa foi a primeira aplicação da transmissão automatizada de dupla embreagem DSG em um Golf na história.

Golf MK3 Harlequin

Volkswagen Golf Harlequin [divulgação]
Volkswagen Golf Harlequin [divulgação]
Tudo bem que essa pode não ser a mais bonita versão do Volkswagen Golf. Mas é impossível ficar indiferente ao Harlequin. Ainda mais que essa é uma das mais valorizadas variantes do hatch médio. Feita para mostrar o catálogo de cores da Volkswagen, ele atraiu tanta atenção do público que começou a ser produzido.

Volkswagen Golf Harlequin [divulgação]
Volkswagen Golf Harlequin [divulgação]
Cada Golf Harlequin era montado com uma cor principal. Depois, as peças desmontáveis eram trocadas em ordem bastante específica conforme uma regra determinada pela Volkswagen. Ao todo foram feitos entre 264 e 275 Harlequin de maneira oficial. Contudo, muita gente repintou o modelo de uma cor só e diversas réplicas surgiram também.

Golf MK7 GTI Clubsport S

Volkswagen Golf GTI Clubsport S [divulgação]
Um passo antes do Golf R (já falaremos sobre ele) o GTI Clubsport foi feito na sétima geração para quem achava o Golf GTI normal fraco. Ele se tornou o Golf com tração dianteira mais potente e rápido da história. Para tanto, bateu o recorde da categoria com tração dianteira em Nürburgring em 2016 com a volta mais rápida do circuito: 7 minutos, 49 segundos e 21 milésimos.

Volkswagen Golf GTI Clubsport S [divulgação]
Volkswagen Golf GTI Clubsport S [divulgação]
Em relação ao GTI padrão, o Clubsport S traz menos isolamento acústico, bancos traseiros arrancados, gaiola de proteção e materiais de construção leve para emagrecer 30 kg. O motor é o mesmo 2.0 TSI quatro cilindros turbo, mas recalibrado para entregar 310 cv e 38,7 kgfm de torque. O 0 a 100 é em ridículos 5,8 segundos.

Golf Variant MK4

Volkswagen Golf Variant MK4 [divulgação] peruas
Volkswagen Golf Variant MK4 [divulgação]
Na teoria, o brasileiro é apaixonado por peruas. Na prática, nem tanto porque elas nunca venderam bem por aqui. Mas entre 1997 e 2003, quando a quarta geração do Golf estava no mercado, as peruas ainda tinham certa popularidade por aqui. Por isso, teria sido uma excelente ideia se a Golf Variant MK4 tivesse pisado em nosso solo.

Volkswagen Golf Variant MK4 [divulgação]
Volkswagen Golf Variant MK4 [divulgação]
Uma das coisas mais interessantes dessa geração é que ela foi vendida na Europa como Golf Variant e como Bora Variant. Cada uma com a dianteira do seu respectivo modelo. Nos EUA foi oferecida somente a Jetta Variant com frente do Bora.

Golf MK7 Alltrack

Volkswagen Golf Variant Alltrack [divulgação]
Volkswagen Golf Variant Alltrack [divulgação]
Já dizia o ditado: se não pode com eles, junte-se a eles. Se as peruas estavam sucumbindo aos SUVs, por que não as tornar mais próxima a eles? Foi isso que a Volkswagen pensou com a Golf Alltrack, versão aventureira da Golf Variant lançada na sétima geração e que recentemente estreou no Golf MK8.

Alltrack [divulgação]
Alltrack [divulgação]
Com suspensão elevada, plásticos pretos por toda carroceria, para-choques exclusivos e até tração nas quatro rodas, dependendo da versão, ela era a resposta perfeita contra os SUVs. Foi vendida em alguns mercados como CrossGolf e poderia ter tido vendas mais altas que as variantes regulares da Variant aqui no Brasil.

>>5 mentiras que te contam sobre os carros vendidos no Brasil

>>Volkswagen diz que seus carros ficarão ainda mais parecidos

>>5 mentiras que montadoras inventaram sobre seus carros no Brasil

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar