Destaque Novidades

Mercedes-Benz corta preço e tira itens de série de alguns SUVs no Brasil

Crise dos semicondutores tirou alguns itens de série nos Mercedes-Benz brasileiros, mas a compensação veio com preço reduzido
Mercedes-Benz GLS [divulgação]

Além de fábricas paradas, a crise dos semicondutores está afetando também modelos importados. Prova disso é que a Mercedes-Benz reduziu a quantidade de itens de série de seis carros no Brasil (sendo dois deles em duas versões, o que totaliza oito modelos). Em compensação, os preços foram reduzidos.

Tudo começa com o cupê de quatro portas CLA 250 que agora custa R$ 324.900 ante os R$ 327.900 de antes. Contudo, ele perdeu head-up display e carregador de celular por indução. Apesar disso, a Mercedes incluiu na lista de equipamentos encosto de baço no banco traseiro, iluminação ambiente e rebatimento elétrico para os retrovisores.

No GLA 200 AMG Line, o desconto foi de R$ 3.000, baixando o preço para R$ 325.900. Isso só foi possível com a remoção da chave presencial por aproximação e do carregador de celular sem fio. Por outro lado, ele ganhou luzes ambiente como item de série.

Mercedes-Benz GLA [divulgação]
Subindo para o GLC, ele teve duas versões alteradas. O GLC 220d Enduro não tem mais sistema de som Burnmester, nem chave presencial, muito menos carregador de celular por indução. O preço caiu R$ 18 mil, saindo por R$ 474.900. Já o GLC 220d Off-road agora está R$ 6 mil mais barato com a remoção da chave presencial e o carregador de celular por indução. Ele sai por R$ 433.900.

Subindo para o GLE Coupé, a Mercedes-Benz também mexeu em duas versões. A BRN de R$ 704.900 e a BRO de R$ 702.900 perderam o sistema GPS com realidade aumentada, mas somente a BRO deixou de trazer o carregador de celular por indução.

Mercedes-Benz GLC [divulgação]
Na versão regular, o GLE só teve alterações na variante assinada pela AMG. Caindo o preço de R$ 813.900 para R$ 795.900, o GLE 53 AMG perdeu carregador de celular por indução, GPS de realidade aumentada e sistema MBUX. O pacote Night com rodas AMG e elementos escurecidos passa a ser item de série.

Por fim, o luxuoso GLS 450 recebeu desconto de R$ 79 mil e agora custa R$ 875.900. Isso foi possível com a remoção do GPS com realidade aumentada, sistema MBUX e carreador por indução. O pacote Energizing foi removido, que contava com iluminação interna dinâmica, massageador nos bancos e ar-condicionado com comandos individuais.

>>Mercedes-Benz GLB leva 7 e tem personalidade oculta | Avaliação

>>Depois da Mercedes, Great Wall quer comprar fábrica da Nissan

>>Great Wall compra fábrica da Mercedes-Benz em Iracemápolis

Sobre o autor

João Brigato

Comente

Clique aqui para comentar