Destaque Novidades

Novo Romi-Isetta 2021 será lançado em setembro

Oficialmente chamado de Microlino, versão modernizada do Romi-Isetta será vendida na Europa em setembro
Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]
Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]

Já há um certo tempo em desenvolvimento, o Microlino, ou Romi-Isetta para os íntimos, finalmente chegará ao mercado. Mais especificamente em setembro e somente na Europa.. A empresa responsável pelo projeto anunciou que o elétrico trouxe mudanças substanciais desde que a ideia surgiu.

Diferentemente dos primeiros protótipos que contavam com estrutura tubular, o Romi-Isetta 2021 por uma estrutura monobloco. A Microlino afirma que o peso da estrutura é o mesmo de antes, mas ela é mais rígida, segura e eficiente.

Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]
Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]
O modelo ganhou uma barra de LED na dianteira que acompanha os faróis projetados para fora da carroceria, que também fazem as vezes de retrovisores. Há também dois pequenos retângulos de LED na parte inferior do para-choque.

Tal qual o Romi-Isetta original, o Microlino tem porta dianteira única que se abre lateralmente e para cima. A diferença, dessa vez, é que a coluna de direção fica fixa no lugar, assim como o painel de instrumentos formado por uma tela digital.

Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]
Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]
A porta/painel traz uma barra emborrachada que permite pendurar diversos objetos diferentes, incluindo um porta-celular. O banco dianteiro único e inteiriço foi feito para economizar espaço, mas traz cinco de três pontos e encosto de cabeça para os dois passageiros.

Pouco ainda foi falado sobre a motorização elétrica do Microlino, mas esse Romi-Isetta do século XXI não sairá barato. O preço começará em 12 mil euros (R$ 78 mil aproximadamente). Isso fará do simpático carrinho elétrico mais caro que um Renault Twizy (7.350 euros – R$ 48.060), mas ainda assim mais barato que um Smart ForTwo EQ (22.000 euros – R$ 143.855).

Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]
Microlino (Romi-Isetta) [divulgação]
A autonomia elétrica declarada pela empresa é de 200 km com carga total. Será que um carro elétrico tão pequeno e com preço relativamente alto faria sucesso no Brasil? Ou mesmo o apelo de ser um Romi-Isetta moderno não seria suficiente?

>>Em 2035, todos os GM serão elétricos. Até o Chevrolet Onix?

>>Ambev compra 1.000 unidades do caminhão elétrico brasileiro FNM

>>Mitsubishi prepara SUV elétrico que resgatará nome Evolution

Sobre o autor

João Brigato

João Brigato

2 Comentários

Clique aqui para comentar