Curiosidades Destaque

Outros cinco carros com traseiras mais do que polêmicas

Segunda parte da lista com carros com traseiras polêmicas traz sugestões dos leitores do Auto+ que ainda se chocam com esses visuais
carros
Nissan Cube [divulgação]

O brasileiro é um povo apaixonado por carros e leva o design muito a sério. Basta um modelo não ser agradável aos olhos para que ele se torne imediatamente alvo de críticas e odiado. Já os carros mais belos têm certa a admiração do público. Mas e quando o problema está só na traseira deles?

A segunda parte da lista de carros com traseiras polêmicas trouxe sugestão dos leitores do Auto+, feitas através do nosso site e redes sociais. Em discussões acaloradas, várias boas (ou seriam polêmicas?) sugestões foram feitas e que estão aqui presentes nessa nova lista.

Toyota Prius

O Toyota Prius sempre foi um carro diferentão em termos visuais. A carroceria é toda pensada para ser aerodinâmica e diminuir drasticamente seus níveis de consumo. Por isso, o híbrido nunca foi verdadeiramente admirado por seu visual, nem pesadamente criticado. Até que a quarta geração chegou em 2015.

Toyota Prius [divulgação]
Toyota Prius [divulgação]
Ainda que a dianteira fosse levemente controversa, ela passava despercebida por conta da traseira com lanternas escorridas. Com prolongamentos até metade do para-choque, as lanternas eram o ponto mais esquisito do design do Prius, tanto que foram completamente alteradas em 2018 quando o modelo foi reestilizado.

Land Rover Discovery

Visual nunca foi problema para o Land Rover Discovery. Apesar do jeito abrutalhado das primeiras gerações, sempre foi considerado um SUV bonito. E é assim com a atua geração lançada em 2017, pelo menos enquanto ele é visto pela dianteira.

carros
Land Rover Discovery [divulgação]
A Land Rover resolveu trazer alguns traços do Evoque para ele, ao mesmo tempo em que manteve alguns elementos clássicos. Como resultado, a placa traseira foi posicionada torta, enquanto a retaguarda ficou afunilada demais fazendo com que o SUV pareça menor do que de fato é (e ele é uma jamanta).

Nissan Cube

Lançado em 1998 com visual genérico e inofensivo, o Nissan Cube entrou para a lista de carros com traseiras polêmicas em sua segunda geração lançada em 2002, mas que piorou tudo mais ainda em 2008 na segunda. Com formato quadrado levemente arredondado, o Nissan Cube tinha traseira inspirada em uma geladeira.

Nissan Cube [divulgação]
Nissan Cube [divulgação]
A porta traseira se abria para o lado esquerdo, como no caso do Ford EcoSport, contudo o vidro se conectava à lateral somente do lado direito. Para piorar, as lanternas posicionadas no para-choque eram conectadas e tinham estilo nada animador. Apesar disso, o modelo vendeu bem porque era exótico e prático.

Mitsubishi Pajero Sport

Aparentemente 2015 foi o ano em que duas fabricantes japonesas esqueceram as lanternas traseiras de seus carros no microondas, onde elas derreteram. O Pajero Sport lançado naquele ano encantou por seu visual parrudo e elegante, com dianteira imponente e carroceria bonita. Mas a traseira com lanternas escorridas não foi perdoada.

Mitsubishi Pajero Sport [divulgação]
Mitsubishi Pajero Sport [divulgação]
O visual como um todo não era ruim, o problema ficava só e somente por conta das extensões das luzes em direção ao chão. E como o para-choque é bem rente à tampa do porta-malas e às lanternas, qualquer pequena batida no trânsito poderia comprometer as duas peças. Na reestilização de 2019 elas ficaram menos escorridas, mas seguem formato parecido.

Nissan Tiida Sedan

Diferentemente de outros modelos da lista os quais possuem algum elemento estético específico que é polêmico, o Nissan Tiida Sedan só está aqui por ser feio. A grande maioria dos comentários nas redes sociais do Auto+ indicou ele como um dos carros com traseira mais polêmica simplesmente por não ser harmoniosa.

Nissan Tiida Sedan [divulgação]
Nissan Tiida Sedan [divulgação]
Parte da culpa é do formato original do Tiida. O modelo é um hatch médio altinho, com ares de minivan. Conseguir uma traseira harmoniosa em um carro alto é algo difícil por natureza. A tampa do porta-malas bem marcada, vidro pouco inclinado e desenho genérico das lanternas fez com que o Tiida Sedan completasse o grupo.

>>Cinco carros com traseiras verdadeiramente polêmicas

>>Toyota tira de linha Camry e Prius no Brasil, mas temporariamente

>>A partir de 2026 todo Mitsubishi será um Nissan com logo do diamante

Sobre o autor

João Brigato

6 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Os designers Japanese precisam urgente de aulas de reforço! Pq a coisa tá feia!!! Geralmente acertam a dianteira dos automóveis, mas a traseira!?! Barbaridade!!! Essa ideia de lanterna caída se arrastando como arado, tipo esses dois desse posto, francamente, não sei onde estavam com a cabeça!!!
    Para piorar um pouco mais a situação e vcs darem risada até morrer, eu tenho uma geladeira, ou melhor, um Nissan Cube que a porta traseira abre… Para a direita!!! Pq a direção no Japão eh do lado direito! Ou seja: imagine um trem feio!?! Eh muito confortável, tem a frente “simpática”, mas a traseira eh uma cópia das geladeiras dos anos 50!!!

  • O próprio Tiida Hatch sempre foi muito feio. Assim como o Toyota Yaris Hatch. As traseiras parecem remendos de design feito sem borracha (principalmente o segundo), onde o designer fez um negócio, não ficou legal e ele foi emendando outras coisas até ficar uma lanterna horrível. Não esquecer tbm do 307 sedan que tinha uma frente super felina e chamativa e a traseira xoxa, capenga, com um desenho triste e pobre.